Now reading

Solidão

Solidão
Solidão

Eu perguntei a algumas pessoas o significado de “solidão” para elas. As respostas foram muito semelhantes. Todas falaram da diferença entre estar sozinho (sem ninguém por perto) e sentir-se solitário (o que pode acontecer mesmo estando cercado por pessoas).

Sentir-se só não significa estar fisicamente sozinho. Muitas pessoas se sentem sós mesmo quando estão em locais cheios de outras pessoas, inclusive em festas. O sentimento de solidão vem da sensação de se sentir desconectado daqueles que estão à nossa volta. É normal ter esse sentimento em alguns momentos ao longo da vida durante o amadurecimento e crescimento interior e em algumas situações de mudanças muito grandes.

Mas quando o sentimento de solidão se torna muito frequente, deve-se ficar alerta. Tanto ele pode ser decorrente de problemas que possam estar acontecendo e causando tal sentimento, como a solidão pode gerar problemas de saúde ou agravar situações previamente existentes.

Algumas pessoas têm um risco maior de se sentirem solitárias com maior frequência. Aquelas que têm um problema psiquiátrico, como ansiedade ou depressão, e que podem ter maior dificuldade de fazer amizades. Aquelas que cuidam de outras pessoas, dificultando que possam sair de casa e interagir com outras pessoas. Pessoas com alguns tipos de deficiências físicas ou que sejam vítimas de algum tipo de discriminação ou bullying também têm maior risco de se sentirem solitárias.

Mas a solidão vem se tornando cada vez mais frequente, principalmente entre os jovens. Em 2014, o Departamento de Estatísticas Nacionais da Grã Bretanha (Office for National Statistics) publicou um levantamento em que os colocou na posição de campeões da solidão na Europa.

E, ao contrário do que se poderia pensar, a solidão é um sentimento que vem se tornando mais preocupante nas populações mais jovens. Em 2010, a Fundação de Saúde Mental (Mental Health Foundation), na Inglaterra, relatou que as pessoas de 18 a 34 anos estão mais propensas a sentirem solidão com maior frequência e de se preocuparem com a possibilidade de ficarem solitárias e de terem depressão por causa da solidão do que os indivíduos acima dos 55 anos. Esse pode ser um grande problema, por causa da relação entre solidão e a saúde mental; a solidão está ligada a maior incidência de estresse, depressão, ansiedade, abuso de substâncias, piora cognitiva e é um fator conhecido para o suicídio. A solidão tanto pode ser uma causa como uma consequência dos problemas de saúde mental.

Ainda existe muita dificuldade em como lidar com o sentimento de solidão. A internet pode ajudar em casos extremos, mas pode agravar dependendo de como é utilizada. Há alguns sites e serviços telefônicos de ajuda, mas nunca achei um que fosse bom aqui no Brasil. Vivemos em um país que se define como altamente sociável e, aqueles que se sentem solitários podem ter ainda mais dificuldade de encontrar um suporte real em alguém.

 

“Uma das maneiras na qual a solidão decorrente de uma situação pode se tornar crônica é precisamente em decorrência da vergonha que se sente sobre a própria solidão – a sensação de derrota.”

Richard S. Schwartz, MD, Psiquiatra

 

“Há uma noção de que as pessoas solitárias estejam fazendo alguma coisa errada. Falta de habilidade social… falta de inteligência… menos atléticos.”

Emily White

 

Algumas sugestões que Emily White descreve em seu livro sobre como lidar com a solidão:

  1. Reconhecer a solidão
  2. Entender o que a solidão traz de prejuízo para a mente e para o corpo
  3. Reagir, procurando formas seguras de interagir com outras pessoas

Bate-papos, mesmo aqueles que pareçam superficiais, no trabalho ou em encontros casuais já ajudam a reduzir a sensação de isolamento e melhorar o bem estar.

A terapia também pode ajudar, especialmente se a solidão estiver acompanhada de ansiedade ou depressão. Segundo Emily descreve, a solidão promove reserva e desconfiança.

Para aqueles que conhecem alguém solitário, Emily também deixa algumas dicas:

  1. Não usar apenas mensagens escritas. Procurar ligar ou encontrar a pessoa.
  2. Se uma mensagem foi deixada e não houve retorno, tente telefonar para ter notícias.
  3. Marque alguma coisa simples, como uma caminhada. Não tente abordar assuntos emocionais.
  4. Não minimize os sentimentos de solidão ou os problemas pelos quais a pessoa está passando.
  5. Tente aceitar que haverá necessidade de um esforço maior para que se tenha o mesmo nível de resposta que se teria de outro amigo.

 

Para quem quiser fazer um teste rápido e avaliar o nível de solidão, segue o link: The Loneliness Quiz.

E um site que dá algumas dicas criativas que ajudam (de verdade) a diminuir o sentimento de solidão: 25 Creative And Surprising Things To Do When You Feel Lonely

 

Esse é um vídeo que explica um pouquinho os riscos da solidão para a saúde física e mental.

 

 

– Sílvia Souza

(08-11-2015)

 

Written by

21 Comments
  • laynnecris disse:

    Excelente artigo! Muito importante ter um olhar mais atencioso para situações que geralmente são negligenciadas… Um abraço carinhoso…

  • Tatiana disse:

    Adorei! Um post extremamente útil e o vídeo é muito bom também!
    Obrigada por compartilhar essas informações
    Beijos

  • Texto muito bem escrito.

  • O primeiro start da pessoa é reconhecer, porque quando não se reconhece, qualquer ajuda passa a ser encarada como um confronto, porque a pessoa não aceita. Reconhecer é diferente de se entregar ao problema. Resistir ao “reconhecer” é que é um problema.

  • Silvia, sua página está linda, agora consegui olhar com calma, gostei demais! Parabéns e parabéns pelo artigo, útil e sensível. Bjao

  • mariel disse:

    Venho sempre aqui, aprender contigo. É muito bom.

  • KAMBAMI disse:

    Ui! E agora? Fiquei em uma dúvida cruel, rssss. Soliário/solidão/depressão/angustias, enfim, acho que todo mundo passa um pouco por isso e se não consegue superar na maior parte das vezes ai sim é bom ter quando possível uma orientação seja de um amigo, seja de alguém que quer ser amigo, seja de um profissional. Vou deixar uma dica, bateu aquele sentimento, se puder, vai pescar, se for jovem vai surfar, se for bela vai receber um fiu-fiu que levanta o astral, mas sinceramente, muitas vezes uma metade de rivotril não faz mal, deite e acorde para um novo dia cheio de disposição, ou ainda venha blogar, trocar experiencia, ler outras se encontrar de alguma forma.
    Algumas opções que eu acho bem interessante, escreve, fotografar, desenhar, tocar música e compor, ouvir músicas, procurar coisas interessantes que sejam novidades mas que sejam sadias. 🙂

    • Silvia Souza disse:

      Eu adorei suas dicas e sugestões.
      Não tenho dúvidas de que a maioria das pessoas passa por algum momento de solidão, tristeza, angústia ou ansiedade. O maior problema é quando esses eventos são frequentes demais ou duram um tempo longo demais.
      Eu adoraria que houvesse uma mágica para resolver essas situações.
      Eu vejo tantas pessoas buscando soluções mágicas para ter o corpo perfeito. Eu gostaria de uma solução mágica (ou, no mínimo fácil de ser implementada) para as dores da alma. Seria muito bom!
      Enquanto isso, sigo minha busca de um novo amigo por vez… aos pouquinhos, quem sabe, né?
      Uma linda semana! 🙂

      • KAMBAMI disse:

        Verdade. Seria muito bom poder dar um estalo dedos e como mágica acontecer, mas…vamos buscando as alternativas. 🙂

  • Marcos Rocha disse:

    “Fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho”.
    Belo texto, Silvia. Parabéns

  • vileite disse:

    Excelente artigo !

  • Carlos Moya disse:

    Olá Silvia, eu entendo que a solidão quando não procurado é prejudicial, por isso muitas vezes aconselho a praticar fotografia, é uma maneira diferente de olhar para as ruas, as pessoas e agitação que parece preparado para outros. Um beijo.

Instagram
  • #catão #ocensor #citações #romaantiga #reflexõesdesilviasouza
  • #françoisehéritier #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #jorgeluisborges #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #miguelestevescardoso #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #cesarecantú #citações #reflexõesdesilviasouza