Now reading

Relatório sobre a Felicidade Mundial 2016

Inquietude
Next post
Relatório sobre a Felicidade Mundial 2016
Relatório sobre a Felicidade Mundial 2016

World Happiness Report é um questionário que tenta estabelecer o nível de felicidade no mundo todo. O primeiro relatório foi publicado em 2012, o segundo em 2013, e o terceiro em 2015. O World Happiness Report 2016 Update, que avaliou 156 países de acordo com seu nível de felicidade, foi divulgado em Roma no dia 20 de Março em virtude do World Happiness Day.

O interesse global e crescente nesses relatórios demonstra a preocupação em usar dados subjetivos de felicidade e bem-estar como indicadores primários da qualidade do desenvolvimento humano.

Neste ano, pela primeira vez, o World Happiness Report propõe um papel central à medida de desigualdade na distribuição do bem-estar entre os países e regiões do mundo e de suas consequências. Eles concluíram que as pessoas são mais felizes vivendo em sociedades com menores índices de desigualdade de felicidade e bem-estar. E essa desigualdade vem crescendo significativamente na maioria dos países.

As análises levam em consideração dados subjetivos e objetivos. O bem-estar subjetivo engloba 3 aspectos diferentes: avaliação cognitiva da própria vida, emoções positivas (alegria, orgulho) e emoções negativas (dor, raiva, preocupação). Ao mesmo tempo em que esses aspectos subjetivos têm causas diferentes, em todos os casos, elas vão além do ganho monetário e das condições materiais.

Os dados objetivos incluíram: PIB per capita; expectativa de vida ao nascimento baseada em dados da OMS; suporte social (ou se a pessoa tem alguém com quem contar em situações de necessidade); liberdade para fazer escolhas pessoais; generosidade (ou se a pessoa fez alguma doação para caridade); percepção de corrupção; efeito positivo, quantificado através de risada ou alegria como um efeito provocado por outras pessoas ou do dia anterior; efeito negativo é definido como o efeito do dia anterior causando preocupação, tristeza ou raiva.

Os 10 países com os melhores índices de felicidade são, todos eles, pequenos ou de tamanho médio, pertencentes às sociedades industriais do Ocidente. A média dos 10 com melhores índices foi de 7.4 (variação de 0 a 10), enquanto a dos 10 com piores índices foi de 3.4. Dos 4 pontos de diferença entre os 10 melhores e os 10 piores, mais de 3/4 é referente a diferenças em 6 variáveis, sendo as mais importantes: PIB per capita, suporte social e expectativa de vida saudável.

A Dinamarca foi o país que ficou com a melhor nota nesse ano, seguida da Suíça (ganhadora no ano passado), Islândia, Noruega, Finlândia, Canadá, Holanda, Nova Zelândia, Austrália e Suécia.

happiness-index-160315c-02

O Brasil ocupa a 17a. posição na nota de Felicidade. Mas quando avaliada a desigualdade dessa felicidade, dada pelo desvio-padrão, observa-se que é um país com imensa desigualdade:

image3

E ficou muito abaixo de outros países em desenvolvimento em relação à melhora do índice de felicidade quando comparados os períodos de 2013-2015 e 2005-2007:

image2

 

Chamou minha atenção o fato da nota do Brasil ter um maior componente de Distopia; ou seja, a nota acaba crescendo porque as pessoas tiveram a percepção de que está melhor em relação a um país imaginário que representaria o pior dos cenários.

Podemos não ter o pior dos cenários, mas temos um cenário muito ruim, com muita desigualdade, com péssimo nível educacional e de saúde e a melhora desses índices ficou muito abaixo de outros países em desenvolvimento.

É claro que todas essas avaliações não são perfeitas. Falham em muitos aspectos. Mas são tentativas de avaliar o desenvolvimento de cada país e a melhoria (ou piora) das condições de vida para as pessoas em geral.

E ainda temos um longo caminho a percorrer…

– Sílvia Souza

Written by

2 Comments
  • Amanda Hillerman disse:

    Concordo, ainda temos um longo caminho a percorrer… Não conhecia o relatório, achei bem interessante!
    Beijos!!
    Blog Amanda Hillerman

    • Olá, Amanda…
      É interessante mesmo… Acho que um aspecto diferente é o fato de avaliar a percepção das pessoas. Claro que ter um dado subjetivo como esse pode gerar muito erro, mas também mostra que a forma como nos sentimos depende de fatores diversos e não apenas de aspectos materiais.
      Um ótimo domingo!
      Beijo!

Instagram
  • #jamesbaldwin #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #mikhailbakunin #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #JamesJoyce #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #gastonbachelard #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #victorhugo #citações #reflexõesdesilviasouza