Now reading

Políticos: patrões ou empregados?

Políticos: patrões ou empregados?
Políticos: patrões ou empregados?

No meu trabalho, eu converso com várias pessoas diferentes. E tenho percebido algo que tem sido inédito para mim; pelo menos na frequência com que tenho visto e sentido. É a intensidade do desânimo das pessoas. Tem havido uma desesperança quase endêmica.

Quando vamos cumprir nossa obrigação de votar, escolhemos políticos que, na teoria, deveriam nos representar e defender nossos interesses enquanto povo, enquanto cidadãos, enquanto grupos. Nós os elegemos e nós pagamos os salários e todas as regalias que eles recebem.

Mas, uma vez eleitos, eles se esquecem completamente das pessoas que votaram para que eles estivessem lá. Não são cobrados, não dão satisfações, não respondem aos seus eleitores. Já começa daí o desrespeito enorme que temos que enfrentar dos nossos políticos.

Nos países democráticos de primeiro mundo, os políticos sabem que precisam prestar contas para os cidadãos que os elegeram. Aqui, uma vez que tomaram posse, eles se preocupam apenas em fazer conchavos e acordos e tentam fazer de tudo para ficarem ainda mais blindados contra essas mesmas pessoas a quem deveriam prestar contas.

Não bastasse viverem às nossas custas com regalias superiores àquelas que possuem quase toda a população (certamente eles vivem melhor que 99% dos brasileiros), contam com a Imunidade Parlamentar e não precisam ter uma formação mínima para exercerem o cargo. Não consigo aceitar nenhuma dessas coisas!

E, como se não bastasse toda a corrupção, a crise em que fomos envolvidos sem escolha, a possibilidade de aumento de impostos frente ao rombo que não fomos nós (enquanto povo) que causamos, ainda me deparei ontem com o artigo do colunista Ronaldo Lemos da Folha de São Paulo falando sobre o Projeto de Lei 1.589, de 2015, da deputada Soraya Santos, do PMDB-RJ.

Esse projeto de lei trata do controle de tudo o que é publicado, escrito, comentado na Internet, inclusive em mensagens privadas, que poderão ser acessadas pela Polícia ou pelo Governo sem necessidade de ordem judicial prévia.

Há alguns anos percebo que vivemos em um regime ditatorial velado, em que muitas das nossas ações são fiscalizadas ou controladas, em especial quando se trata de críticas ao Governo Federal.

Mas a aprovação de algo assim regulamentaria a falta de liberdade de expressão e controle de todos os cidadãos, ameaçando todas as pessoas com a possibilidade de serem presas! Apenas por expressar sua opinião!

Que país está sendo construído? Como posso desejar que meus filhos vivam em um país que caminha para uma ditadura, onde apenas nos cabe pagar a conta?

Acho que nunca falei de política nesse espaço onde faço minhas reflexões. Mas ontem fiquei tão transtornada com a leitura do texto na página da Folha e depois apenas confirmada por uma matéria da Carta Capital. Passei o dia sem conseguir pensar em outra coisa.

Não consigo aceitar continuarmos nessa desesperança e com essa apatia. Nós temos que brigar para que projetos de lei assim não sejam aprovados. Precisamos brigar. Temos que ver justiça sendo feita e os responsáveis por tanta corrupção sendo punidos. Os senadores, deputados, vereadores apenas foram eleitos porque receberam votos, nossos votos. E somos nós seus patrões.

Não dá para continuar assim! Temos que fazer alguma coisa. É nosso dever!

Aqui foi meu desabafo que estava preso na minha garganta há muito tempo!

– Sílvia Souza

Written by

14 Comments
  • O que me deixa transtornado também é que no Brasil, as denúncias estão a todo o vapor. Estamos lendo e relendo notícias que mostram as profundezas da corrupção onde o país está agonizando. O que eu não tenho visto são as soluções, práticas e ações acontecendo. O que eu não vejo é a volta do dinheiro desviado, apenas um valor insignificante perto do que foi roubado. O que eu não vejo é as pessoas envolvidas sendo devidamente julgadas. Não, o que nós estamos vendo são bandidos corruptos negociando as suas detenções, em troca de dizer apenas algumas coisas à justiça. Que absurdo. Eu já desabafei muitas vezes sobre a tag política no meu Blog também. Mesmo nós, que queremos um país melhor e sermos fonte de energia positiva para outras pessoas, temos os nossos momentos de lado humano que somos. Ninguém tem sangue de barata, não é mesmo Silvia?

  • laynnecris disse:

    Era só o que faltava! Nos calar a voz! É inconstitucional que se elabore leis que visem anseios totalmente egoístas e corruptos.

  • aurokam disse:

    Dei uma lida no tal projeto de lei. A maioria dos artigos tem como objetivo inibir o conteúdo difamatório divulgado pela internet. Injúria, calúnia e difamação já são considerados crimes. Esse projeto propõe maior rigor e maior agilidade na investigação contra esse tipo de crime. Sinceramente, não sou totalmente contrário. A internet está cheia de desequilibrados boquirrotos destemperados que podem causar prejuizos morais incalculáveis aos outros. Não vi, na maior parte do projeto de lei, uma tentativa de cerceamento da liberdade de expressão. O que entendi foi uma cobrança de responsabilidade pelo que se posta na internet.
    Agora, o tal artigo 23A é que não dá pra engolir: é censura prévia, e é inconstitucional. Não se deve impedir que um conteúdo venha a público, por mais difamatório que seja. O injuriado que depois se defenda.
    Sobre a mobilização da sociedade: penso que estamos respondendo por nossa apatia. A postura predominante das pessoas que conheço é a de não se envolver em política. Se gente boa não se envolve, sobra pra gente nem tão boa… e dá no que deu. De fato, está na hora de deixar a apatia de lado e tentar alguma mobilização. As mais efetivas estão em cobranças aos parlamentares. Por e-mail é bem efetivo. Ano que vem tem eleições. Hora de começar a pesquisar com cuidado em quem votar. Eu tento seguir por twitter alguns políticos com quem simpatizo. E certamente farei campanha pra eles se até lá se mantiverem à altura de minhas expectativas.

    • Silvia Souza disse:

      Você leu o Projeto de Lei que eu anexei no link? Eu não sei se essa é a versão final. Esse eu li também, mas há mais dois (não sei de quem nem o número) e talvez não seja a versão que está tramitando. De qualquer forma, foi a versão que eu localizei.
      Uma coisa que eu não gosto na Internet é das pessoas se valerem do anonimato ou e identificações falsas para falarem o que pensam ou atacarem outras pessoas.
      Mas condeno qualquer tentativa de controle da opinião. A liberdade de expressão é uma das coisas que mais valorizo e isso é condição essencial para qualquer governo democrático.
      Eu gostaria de saber quais são todos os projetos de lei e quais são os conteúdos que de fato estão indo para votação.
      De acordo com os 2 conteúdos que li (Folha e Carta Capital – com a observação que não gosto de nenhum dos dois), dentro do projeto que irá para votação, será feito controle inclusive em mensagens privadas e SEM NECESSIDADE DE ORDEM JUDICIAL!!!
      Descrevi de acordo com o que os jornalistas descreveram. Posso estar errada.
      Mas definitivamente, qualquer redução ou controle sobre o que as pessoas dizem, considero absurdo.
      Sou a favor de um controle no sentido de reduzir difamação, bullying e conteúdo anônimo.

      • aurokam disse:

        É, o projeto que li foi o do seu link. Não lembro de lido sobre controle de mensagens privadas. A mídia brasileira é alérgica a qualquer tipo de controle, mas às vezes é um tanto hiperreativa. Mas estamos de acordo, sim. Censura prévia, não! Violação de conteúdo privado, menos ainda.

  • […] 23/09/2015, eu escrevi um texto falando sobre política (Políticos: patrões ou empregados?). O objetivo do meu site e das minhas reflexões não é abordar preferências políticas ou temas […]

Instagram
  • #miguelestevescardoso #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #cesarecantú #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #thubtenchodron #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #albertcamus #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #lamatseringeverest #citações #budismo #reflexõesdesilviasouza