O que eu queria ser...
Previous post
Now reading

Perfumes inacessíveis

Perfumes inacessíveis
Perfumes inacessíveis

Eu tenho alguns hobbies. Na minha opinião, todos deveriam ter algum tipo de hobby. De acordo com o site Significados:

O que é Hobby:

Hobby é uma palavra inglesa frequentemente usada na língua portuguesa e significa passatempo, ou seja, uma atividade que é praticada por prazer nos tempos livres.

Um hobby não é uma ocupação a tempo inteiro, e tem como objetivo o relaxamento do praticante.

Normalmente, a prática de um hobby não implica vantagem financeira para a pessoa em questão. Apesar disso, ele pode se transformar em uma tarefa que resulta em benefício financeiro para o praticante. Por exemplo, uma pessoa que tem a pintura como um passatempo, pode vender um dos seus quadros.

Esta atividade, que tem como objetivo o alívio do stress, pode ser física, prática ou mais intelectual. Existem vários tipos de hobbies, entre eles: ponto cruz, aeromodelismo, leitura, colecionar selos e moedas, praticar esportes, desenho, modelagem, culinária, cantar, dançar, fotografia, etc.

Cada pessoa gosta de alguma coisa; cada um dos meus hobbies pode ser visto com desprezo por outras pessoas, embora eu ache que não deveríamos nunca criticar algo que faça bem e seja prazeroso para outra pessoa. Cada um tem seus gostos e suas preferências. Meus hobbies atuais são: ler, escrever, estudar francês e aprender sobre a arte dos perfumes. Poderia incluir viagens, mas não tenho conseguido viajar quanto eu gostaria por questões econômicas (o pouco que me sobra, o governo faz questão de tirar de mim).

O problema é que um dos meus hobbies está ficando cada vez mais inacessível. Quanto mais eu me aprofundo em minhas pesquisas sobre os perfumes, mais percebo o quanto estou isolada dos principais criadores e das grandes obras da perfumaria por estar no Brasil. E isso que eu moro na maior cidade do país, com maior acesso a tudo o que temos de produtos importados.

Existem centenas de lançamentos de perfumes todos os anos. A maioria não vai durar muito tempo no mercado. É produzido para agradar aos consumidores, sem muita originalidade, sendo um pouco do “mais do mesmo”. Hoje em dia, as empresas buscam agradar as mulheres jovens e a maioria dos lançamentos comerciais (com raras exceções) são perfumes florais-frutados que, no meu ponto de vista, são todos muito parecidos.

Talvez até para escapar dessa obrigação de criar para o consumo da massa, muitos grandes perfumistas têm fundado suas próprias empresas de perfumes de nicho ou têm contribuído com perfumarias de nicho já existentes. Essas criações costumam ser mais livres, baseadas na inspiração dos perfumistas, muitas vezes usando essências de maior qualidade, o que acaba originando produtos com maior valor agregado e, muitas vezes, bastante caros para o consumo.

No caso de algumas dessas marcas, conseguem-se comprar amostras dos perfumes, apenas para experimentá-los, sem ter que desembolsar grandes somas para comprar o frasco todo até que se tenha certeza de que aquele é o perfume certo.

E é aí que entra minha frustração: não tenho acesso à maioria das criações exclusivas morando no Brasil. Não temos uma perfumaria que importe os perfumes raros e de nicho, produzidos em pequena quantidade por pequenas empresas do setor. Na França e nos Estados Unidos (imagino que em outros países também devam existir), existem lojas físicas e virtuais que entregam em todo o país e em vários outros países. Mas o Brasil está de fora de todas elas. Além das restrições do transporte de perfumes por via aérea, temos a questão de grande número de extravios de encomendas. Então, não existe interesse dessas lojas pequenas (que vendem mercadorias frágeis e caras) em vender para consumidores no Brasil. E não estou nem falando da taxa de importação que temos que recolher que chega a quase 100% do valor do produto; a questão é que não tenho a chance de recolher a taxa, porque não tenho como comprar o produto.

Sei que existem países piores. Sei que existem países que nem mesmo autorizam compras em moeda estrangeira ou por lojas virtuais. Sei que existem países que barram a saída de divisas ainda mais do que o Brasil. E sei que perfume não é um item essencial na vida de ninguém. Ao menos, por enquanto, tenho a chance de comprar meus livros de sites de outros países, o que já é uma coisa maravilhosa.

Mas tenho que confessar que fico bastante frustrada.

Temos algumas (poucas) opções aqui. Caso alguém saiba de mais alguma, pode me avisar, por favor.

  1. Guerlain: algumas poucas opções vendidas pela Sephora; as criações mais exclusivas não estão disponíveis.
  2. Chanel: uma das poucas marcas que traz todas as criações em perfumaria para o Brasil, inclusive as exclusivas.
  3. Hermès: nas duas lojas físicas da marca, temos a maioria das criações em perfumaria, inclusive o perfume mais premiado desse ano, Galop.
  4. Jo Malone: a vinda da marca para o Brasil foi uma alegria para quem gosta de perfumes e têm sido trazidos todos os lançamentos e produtos disponíveis em Londres.

São essas marcas que eu conheço aqui. As criações mais exclusivas de Givenchy, Dior, Lancôme, Boucheron, Louis Vuitton, pelo que eu saiba, não vêm para cá. Além disso, outras marcas de nicho como: Editions de Parfums Frederic Malle, Annick Goutal, The Different Company, Le Labo, Byredo, Diptyque e tantas outras, não podem ser adquiridas aqui. É uma pena.

 

Written by

Instagram
  • #miguelestevescardoso #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #cesarecantú #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #thubtenchodron #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #albertcamus #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #lamatseringeverest #citações #budismo #reflexõesdesilviasouza