Now reading

Perfumaria: Um problema com Mitsouko e L’Heure Bleue

Speed Dating
Next post
Perfumaria: Um problema com Mitsouko e L’Heure Bleue
Perfumaria: Um problema com Mitsouko e L’Heure Bleue

No dia 23 de novembro de 2016, Olivier R.P. David escreveu um artigo muito interessante sobre o processo de fabricação dos perfumes com informações que eu desconhecia completamente. Vou traduzir e resumir alguns dos dados contidos no artigo original.

L’Heure Bleue e Mitsouko são duas obras-primas da perfumaria, criadas por Jacques Guerlain, e, 1912 e 1919 respectivamente. Estes dois clássicos passaram no teste do tempo e continuam populares quase um século após sua criação.

Na década de 1980, houve uma mudança nas normas de segurança sanitária europeias; essa mudança obrigou a alterações nas fórmulas de vários perfumes antigos e os perfumistas precisaram usar toda sua expertise para revisarem as fórmulas de acordo com as novas normas mantendo a intenção olfativa inicial do criador.

Um problema particular dos perfumes antigos refere-se à presença de bases nas fórmulas. Uma base é uma mini-composição comercializada pelas empresas de matérias primas e são utilizadas como um “bloco de construção” pelo perfumista. Ele não conhece a fórmula das bases que utiliza e, caso a base sofra uma alteração realizada pelo fabricante, o perfumista não sabe o que foi modificado exatamente; apenas que houve uma alteração no aroma.

Foi o que aconteceu com as bases utilizadas nos perfumes Mitsouko e L’Heure Bleue, ambos da Guerlain.

No verão de 2015, usuárias habituais do Mitsouko perceberam mudanças em algumas notas do perfume; alguns chegaram a comprar estas variantes por causa da modificação; elas podiam ser identificadas devido ao número do lote contido no frasco. Este código é obrigatório para assegurar a rastreabilidade dos perfumes. No entanto, em outubro, vários clientes se queixaram de odores desagradáveis que eram descritos semelhantes a petróleo, alcatrão, fumo. No final do ano de 2015, o problema tornou-se tão importante que a Maison Guerlain decidiu parar de vender os perfumes Mitsouko e L’Heure Bleue.

O problema ocorreu devido a uma matéria prima chamada Iriséine, que remete à idade de ouro da perfumaria: as fábricas de produtos químicos Laire. Fundada por George de Laire em 1876, esta empresa era especializada na produção produtos sintéticos. Para comercializar e promover seus produtos mais facilmente, ela propôs aos perfumistas as bases de Laire, “mini-composições” construídas em torno de seus ingredientes emblemáticos e mais fáceis de usar.

O Iriséine é um produto que combina as características violeta-iridescentes das metiliononas com facetas amadeiradas e quentes, permitindo dar origem a composições mais encorpadas. Devido a aquisições e divisões da empresa Laire, a produção original do Iriséine ficou comprometida; ele passou a ser produzido pela empresa Symrise com as metiliononas da empresa Takasago.

Mas em 2014, a empresa Takasago interrompeu a produção de suas metiliononas, obrigando a empresa Symrise a vender a base para a Guerlain com uma substância substituta. Mas a mudança foi tão grande que acabou obrigando a Guerlain a retirar os produtos do mercado até que Thierry Wasser encontrasse a fórmula ideal que reproduzisse a sensação olfativa dos dois perfumes.

A Maison Guerlain se comportou de maneira transparente e comunicou que havia um problema de estabilidade na matéria prima e que Thierry Wasser estava trabalhando para encontrar uma qualidade ótima para estes dois perfumes icônicos.

Em setembro de 2016, após vários meses de trabalho de reformulação, a nova formulação passou nos testes e foi colocada à venda.

Esta situação demonstra que os perfumes e suas matérias primas estão em constante evolução, com mudanças na forma de produzir, nas empresas e indústrias de produção, nas normas de segurança; o perfumista precisa estar atento a todas essas alterações e ajustar as criações mantendo seu espírito original.

 

Fonte: Au Parfum

Written by

Instagram
  • #albertcamus #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #lamatseringeverest #citações #budismo #reflexõesdesilviasouza
  • #honorédebalzac #citações #trechosliterarios #amulherdetrintaanos #reflexõesdesilviasouza
  • #edmundburke #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #rubemalves #citações #reflexõesdesilviasouza