Contribuição 4
Previous post
Now reading

O que eu faço?

O que eu faço?
O que eu faço?

Dizer tudo o que passa pela nossa cabeça não significa ser uma pessoa sincera. Há pensamentos e opiniões que podem ser omitidos para o bem das relações entre as pessoas. Até aí, está tudo muito claro para mim. Não gosto de mentir; cada vez mais tento ser honesta com as pessoas. Mas todos estamos sujeitos a falarmos pequenas mentiras, muitas vezes não intencionais, apenas para manter a harmonia.

Entretanto, no seu caso, as coisas não são tão claras para mim. Devo ou não falar tudo o que penso, sinto e as minhas percepções do que está acontecendo? A situação é diferente porque você não é apenas uma pessoa conhecida com quem quero manter uma relação cordial. Não! Você é uma das pessoas que eu mais amo e faz parte do grupo absolutamente restrito das pessoas de quem preciso perto de mim.

Eu nunca duvidei de que você me amasse também. Sempre tive certeza disso. Até recentemente. Nas últimas semanas (ou meses), tenho a passado a questionar o que você realmente sente por mim. Haveria um grande componente de mágoa? Ressentimento? Inveja? O que existe de fato? Por que eu passei a questionar? Porque eu percebo a irritação, a agressão verbal e, muitas vezes, física, que parte de você e daqueles que são influenciados por você. E isso tem me levado a me distanciar mais e mais. Afinal, ninguém gosta de ser maltratado. Mas, ao mesmo tempo, sinto uma tristeza tão grande, porque sinto sua falta e meu amor por você é enorme e sincero.

E, nestes momentos, eu penso: devo falar tudo? Desabafar? Contar todas as conclusões a que cheguei ao longo destes últimos anos? Mas e aí? Eu sei que você vai me agredir… você vai se afastar… vai compreender de maneira equivocada tudo o que eu falar ou escrever. Você não vai aceitar e vai passar a me odiar. Mas eu tenho o direito de me calar? De lavar minhas mãos? Como posso me silenciar frente a tudo o que vejo, já que amo tanto você?

Eu me calo e acabo sofrendo. Se eu estivesse no seu lugar, gostaria que alguém abrisse meus olhos. Mas nós somos diferentes. Muito diferentes. E talvez você saiba de tudo… Talvez você tenha a consciência de tudo o que se passa ao seu redor, na sua vida, nos seus relacionamentos. Mas fica sempre este “talvez”… Será que você de fato sabe? Eu não deveria lhe alertar?

Eu amo tanto você… E, ultimamente, passei a achar que este sentimento é unilateral… que não é recíproco. Por que você guarda tanta mágoa de mim? O que eu fiz para você de ruim? Eu sou esta pessoa cheia de defeitos, que caiu e se levantou tantas vezes… esta pessoa que está constantemente em busca do próprio caminho, da melhor forma de construir sua história. Eu não sou detentora de nenhuma verdade. Nenhuma. Posso ter minhas crenças, mas não tenho as respostas definitivas.

Mas tenho minhas preocupações. E eu me preocupo com você. E gostaria de abrir meu coração e dizer tudo o que me incomoda, tudo o que eu observo… Mas não tenho certeza se tenho este direito. O que eu faço?

 

 

– Sílvia Souza

 

Written by

10 Comments
  • Leandro Tissiano disse:

    Espero que tome a decisão correta e seja para o melhor de todas as pessoas envolvidas. Lindas palavras!

  • Carlos Moya disse:

    Olá Sílvia é uma declaraçao impressionante de entrega. Acho que acontece que algumas pessoas não merecem nós. E talvez outras que nós não merecemos. Eu acho que com todos eles é o melhor para manter a distância é o silêncio. Com os primeiros não vale o esforço e com os segundos como um sinal de respeito. Felizmente, existem várias centenas de milhares que se querem manter uma relação adequada. Certa vez li uma dica: Dà o teu amor, mas apenas aquele que te ama. Um beijo.

    • Olá, Carlos!
      Confesso que esta situação que eu vivo é algo muito, muito complicado e que me faz sofrer bastante. Existem aquelas pessoas que são parte de quem somos… e é difícil fechar os olhos e fingir que não vemos as coisas erradas que acontecem.
      Ao mesmo tempo, eu tenho este pensamento de respeitar o espaço e o silêncio de cada pessoa, porque gosto que respeitem os meus.
      Gostaria tanto de uma resposta da atitude a tomar…
      Mas sei que ela não existe…
      Beijo!
      Um lindo domingo!

      • Carlos Moya disse:

        Costumo falar com a minha filha quase todos os dias, ela tem uma maneira de lidar com essas questões. Ele me diz: Imagine você que dez anos se passaram. Embora eu não gostaria de assumir a responsabilidade de dar conselhos, mesmo sobre um assunto que eu nom sei bem. A minha experiência diz-me que a paixão não dura mais de dois anos, em seguida, ou é um profundo amor e respeito ou nada. A ruptura, por mais doloroso que possa parecer é ultrapassada e abre novas possibilidades. Em qualquer caso, eu iria escolher a opção que traga menos sofrimento para os próximos dez anos. Um beijo.

        • Acho a forma da sua filha de lidar com os problemas muito inteligente. É uma maneira de tentar antever ou ponderar os efeitos das nossas decisões. Ainda assim, existem alguns momentos em que fica muito difícil…

  • Alex André disse:

    Seja apenas você, esta pessoa maravilhosa e sincera que eu conheço, Silvinha querida. Não tenha medo de falar a verdade, não fique se remoendo por não falar a verdade. Use o seu excelente bom senso e tudo vai dar certo!
    Um lindo domingo e um excelente beijo para ti!

    • Olá, Alex!
      É muito bom ter sua opinião aqui!
      Eu gostaria que as pessoas fossem capazes de escutar com o coração aberto, sabendo que quando dizemos alguma verdade que percebemos é porque realmente nos importamos…
      Um lindo domingo para você também!
      Um beijo grande!

  • claudio kambami disse:

    Oi! Imagina se de fato fosse uma declaração de amor. Diria com todas as palavras que a pessoa a quem foi direcionado o desabafo não tem senso pois não posso crer em alguém tão burro, rsss.
    Desculpa não foi minha intenção ofender a pessoa mas cá entre nós….
    Dizem que se conselho fosse bom não se dava e sim vendia, mas como não sou comerciante diria que no caso não deves se importar pois a própria vida dará o devido ensino.
    Sabe Silvia, penso eu, muitas vezes nos importamos demais por alguém e mesmo sendo isso algo que no meu entender é a coisa mais bela que existe no ser humano, tem horas que dá mesmo vontade de chutar o balde e deixar pra lá.
    Quando nos preocupamos demais com alguém, das duas, uma, ou a pessoa de fato passa a nos amar no sentido puro da palavra ou nos ignorar.
    Faça o que seu coração diz para fazer, não se importe se haverá ou não um retorno de sua atenção, carinho, amor ou preocupação. Se faz bem a nós, continuemos a ser o que nascemos para ser.
    <3

Instagram
  • #jorgeluisborges #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #miguelestevescardoso #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #cesarecantú #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #thubtenchodron #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #albertcamus #citações #reflexõesdesilviasouza