Now reading

Medicina e Saúde: Ciclo Menstrual

Medicina e Saúde: Ciclo Menstrual
Medicina e Saúde: Ciclo Menstrual

Quanto dura o ciclo menstrual?

São vários os hormônios envolvidos no ciclo menstrual, sendo alguns produzidos pelos ovários e outros produzidos pela hipófise (glândula localizada no cérebro). Existe uma sequência de estimulação entre eles, que favorecem o crescimento do endométrio (camada que recobre a parte interna do útero e que descama durante a menstruação) e o crescimento de folículos ovulatórios. Os folículos estimulados produzirão hormônios e haverá a liberação de um ou mais óvulos, no processo chamado ovulação.

Caso não haja fecundação do óvulo, ou seja, caso a mulher não engravide, ela irá menstruar. Esse período completo de uma menstruação até a outra é chamado ciclo menstrual. Convencionou-se considerar o dia em que a mulher menstrua como o primeiro dia do ciclo menstrual.

Nas mulheres adultas, o ciclo menstrual dura, em média, de 28 a 35 dias. A fase inicial do ciclo até que ocorra a ovulação geralmente dura de 14 a 21 dias e é chamada de fase folicular. Ela é mais variável do que a segunda fase do ciclo, que é a fase depois que ocorre a ovulação e que dura até que ocorra a menstruação. Essa tem uma duração mais fixa, que, em geral, é de 14 dias. Essa segunda fase é chamada de fase lútea.

Durante a adolescência, por alguns anos após a primeira menstruação, os ciclos menstruais podem ser mais variáveis, mais irregulares. Volta a haver variação do ciclo menstrual quando a mulher está se aproximando da época da menopausa.

 

Como ocorre a ovulação?

Logo depois que a mulher menstrua, na fase inicial do ciclo menstrual, os hormônios produzidos pelos ovários (estradiol e progesterona) estão em níveis muito baixos. O endométrio (após a descamação da menstruação) fica bem fino.

Aos poucos, vai havendo aumento de um hormônio produzido pela hipófise chamado FSH. O FSH vai estimulando alguns folículos nos ovários e a produção de estradiol (um dos hormônios femininos). O estradiol em quantidades crescentes estimula a proliferação do endométrio (camada que irá sair durante a menstruação). O estradiol também altera o muco que fica no colo do útero e na vagina; muitas mulheres conseguem notar essa mudança no muco e conseguem definir o período de ovulação. Nessa fase, a ovulação se aproxima. Geralmente apenas um folículo ficou dominante nos ovários e apenas ele irá crescer até liberar o óvulo. Os outros que tinham sido estimulados irão regredir.

O estradiol aumenta mais e apresenta um pico mais elevado, que, por sua vez, estimula um pico de um outro hormônio produzido pela hipófise, que é o LH. Esse aumento do LH ajuda no término do desenvolvimento do óvulo, que será, então, liberado cerca de 36 horas após o pico do LH. Essa é a ovulação. O óvulo vai migrar pela tuba uterina (ou tuba de falópio) até a cavidade uterina.

O folículo que liberou o óvulo produz progesterona, que é um hormônio muito importante para manter o endométrio pronto para receber o ovo (que é o óvulo fecundado pelo espermatozóide).

Se a mulher engravidar (houver fecundação do óvulo), o ovo será implantado no endométrio e vai produzir um hormônio chamado hCG, que mantém a produção de progesterona pelo ovário. Quando não há gravidez, os níveis de estradiol e de progesterona caem. Isso leva a que o endométrio não se mantenha mais e descame na menstruação.

A partir daí, dá-se início um novo ciclo menstrual.

 

 

Written by

2 Comments

Instagram
  • #francescoalberoni #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #honorédebalzac #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #JaimeDeBalmes #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #jamesbaldwin #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #mikhailbakunin #citações #reflexõesdesilviasouza