Now reading

Livro “Le Roman des GUERLAIN” de Élisabeth de Feydeau

Livro “Le Roman des GUERLAIN” de Élisabeth de Feydeau
Livro “Le Roman des GUERLAIN” de Élisabeth de Feydeau

Primeira publicação: 2017

Editora: Flammarion – 342 páginas

ISBN13: 9782081347755

Sinopse: Quase dois séculos de histórias de amor e de beleza, enfeitados por muitos perfumes imaginados, passaram-se desde um dia do ano de 1828, quando Pierre-François-Pascal Guerlain (1798-1864), perfumista químico de profissão, abriu sua primeira loja na Rue de Rivoli, perto do elegante hotel Meurice em Paris. Seu destino fora selado muito antes, no berço de odores onde ele passou sua infância em Abbeville, com seu pai que era comerciante de especiarias. Noz-moscada, canela, baunilha e pimenta, vindas de terras distantes, fizeram o jovem sonhar e alimentaram sua memória olfativa para sempre. Ele acabaria se revelando um criador visionário, dotado de gênio incomparável para a combinação de maravilhosas alianças olfativas. Livre e ousado, Guerlain seguiu sua intuição, oferecendo aos clientes mais exigentes fragrâncias inesquecíveis, guardadas em frascos elegantes e refinados. Depois dele, Aimé, Jacques e Jean-Paul continuaram a aventura, criando novas fragrâncias que incorporassem o luxo e a voluptuosidade de Paris. Um sucesso familiar histórico, revivido pelo talento da historiadora Élisabeth de Feydeau. 

 

Élisabeth de Feydeau nasceu em 1966 na França. Aos dezesseis anos, ela descobriu o poder emocional da fragrância, com L’Heure Bleue de Guerlain. Desde então, ela se apaixonou pelo mundo dos perfumes. Ela completou seu Doutorado em História na Universidade de Paris IV-Sorbonne em 1997, com uma tese sobre a indústria de perfumes francesa de 1830 a 1945. Devido ao seu conhecimento, ela fundou sua própria empresa em 1997, a Arty Fragrance, para prestar consultoria olfativa e cultural envolvendo a perfumaria e presta assessoria a marcas famosas como Jean Paul Gaultier, Chanel, Dior, L’Oréal e Guerlain. Ela publicou vários livros envolvendo a história do perfume e tem uma longa pesquisa sobre a fragrância usada por Maria Antonieta. Em 2006, com a ajuda do perfumista Francis Kurkdjian, conseguiu reconstituir o perfume usado pela rainha e chamado Le Sillage de la Reine.

 

Eu não me lembro exatamente como foi meu primeiro contato com a Guerlain. Em algum momento, em minhas escolhas por perfumes, comprei o perfume L’Instant e, depois, o L’Instant Magic. Foram fragrâncias que usei por bastante tempo e repeti as compras. Mas eu ainda não sabia muito sobre a marca, não conhecia o luxo e o que ela representava. Mesmo quando estive em Paris pela primeira vez, não cheguei a ir até a loja principal que fica na Champs-Elysées. Foi depois que conheci a maquiagem e os tratamentos da marca.

Aos poucos, fui conhecendo os lançamentos exclusivos, as coleções e todo o encanto e a exclusividade da maison Guerlain. Um dos melhores perfumes que tive foi deles: Quand vient la pluie (já falei sobre ele em outras publicações). Atualmente, meus produtos de maquiagem preferidos são da Guerlain (ao lado dos produtos da Chanel). Não costumo usar rotineiramente os tratamentos para a pele porque não cabem no meu orçamento. Mas são absolutamente incríveis, vendidos em embalagens lindas e com um aroma delicioso. Já tive vários dos perfumes da marca e sempre que vou para Paris trago algumas das criações mais exclusivas que não chegam ao Brasil.

Este livro que acabei de ler conta a história da Guerlain. Ele começa quando Pierre-François-Pascal Guerlain sai da casa dos pais em Abbeville, na Picardia, para aprender sobre a arte da perfumaria e dos cosméticos, até ele criar sua própria loja e passar a produzir seus próprios produtos de perfumaria, cosméticos e maquiagem, em 1828.

Élisabeth de Feydeau, uma historiadora especializada em perfumes e apaixonada pela Guerlain, conta em detalhes todos os eventos que foram ocorrendo e como a família foi crescendo. A marca foi sendo construída com muito trabalho, dedicação e amor em cada pequeno detalhe.

E é interessante conhecer alguns detalhes históricos como o fato das mulheres usarem os perfumes nas luvas: eram vendidas luvas perfumadas; os perfumes masculinos foram criados muito mais tarde, apenas no início do Século XX; e o fato do creme Nivea (que conhecemos até hoje) ter sido criado por Pierre-François-Pascal Guerlain e comercializado pela marca própria por muitos anos, até ser vendido para a empresa alemã Beiersdorf.

O livro está dividido em 3 partes, com os três primeiros perfumistas da marca, todos de nome Guerlain: Pierre-François-Pascal, Aimé e Jacques. Pierre-François-Pascal construiu a marca e produziu os primeiros perfumes. Seus dois filhos passaram a cuidar dos negócios, Gabriel na administração e Aimé na criação e produção. Aimé demorou a se casar e precisou lidar com algumas perdas ao longo de sua vida. Dedicou-se à perfumaria com toda sua sensibilidade. Criou os primeiros perfumes masculinos da marca, como Cuir de Russie e Eau de Verveine. E também foi o responsável pela criação de um dos grandes perfumes da Guerlain até hoje, que deu início à era mais moderna: Jicky, de 1889.

Tel un musicien, il doit obstinément chercher l’accord parfait qui, à terme, produira le parfum idéal, à la fois si naturel et si sophistiqué que l’on ne saura plus distinguer, dans ce mélange improbable, ce qui relève de la nature et de la chimie.

[Como um músico, ele deverá, de forma obstinada, procurar o acorde perfeito que, no final, produzirá o perfume ideal, de tal forma que seja natural e sofisticado e que não seja mais possível distinguir, nessa mistura improvável, o que é natural e o que é produzido pela química.]

Aos poucos, Aimé foi ensinando a arte da perfumaria ao seu sobrinho, Jacques, o perfumista responsável pelas principais criações da marca. Jacques perdeu um olho na Primeira Guerra e isso deve ter contribuído para que ele desenvolvesse ainda mais seu olfato. Ele sofreu muito com a morte de um filho na Segunda Guerra e era ele que estava à frente da marca quando a Alemanha tomou Paris. Nessa época, os alemães passavam praticamente todos os dias na loja, fiscalizando todos os movimentos dos funcionários e dos proprietários. Jacques criou alguns dos grandes clássicos: Après l’Ondée (1906), L’Heure Bleue (1912), Mitsouko (1919), Guerlinade (1924), Shalimar (1925 – o perfume mais vendido da Guerlain de todos os tempos), Vol de Nuit (1933), Sous le Vent (1934) e Coque d’Or (1937).

Faites de bons produits, ne cédez jamais sur la qualité. Pour le reste, ayez des idées simples et appliquez-les scrupuleusement.

– Aimé Guerlain para Jacques Guerlain

[Faça bons produtos, nunca abra mão da qualidade. Quanto ao resto, siga as ideias simples e coloque-as em prática de forma rigorosa.]

De forma inesperada, Jacques escolheu seu sucessor: seu sobrinho Jean-Paul. Jean-Paul tinha um grave problema visual e acabava se concentrando nos aromas que o cercavam. Jacques percebeu essa sensibilidade olfativa desde muito cedo e Jean-Paul ainda era bastante jovem quando passou a acompanhar o tio e a aprender a arte de criar os perfumes. Ele passou um tempo estudando na Firmenich, na Suiça, e contribuiu ainda mais para o crescimento da Guerlain no mundo dos perfumes e cosméticos. Também desenvolveu grandes perfumes: Chant d’Arômes (1962), Habit Rouge (1965), Chamade (1969), Parure (1975), Nahéma (1979), Jardins de Bagatelle (1983), Samsara (1989), Champs-Elysées (1996), Terracotta (2000), entre muitos outros.

En réalité, le “style Guerlain” tient beaucoup à une sorte de “fil d’Ariane” conçu par Jacques, imprimant sa marque à tous les parfums de la Maison et qui mélange des odeurs de vanille, mais aussi des baumes, de la bergamote, de la fève tonka et des saveurs florales telles que l’iris, la rose et le jasmin. Ce fil conducteur olfactif porte le joli nom de “Guerlinade”!

[Na realidade, o “estilo Guerlain” atribui grande importância a uma espécie de “fio de Ariane” projetado por Jacques, imprimindo sua marca a todos os perfumes da maison e que mistura os aromas de baunilha, de bálsamos, de bergamota , de fava tonka e de flores, como íris, rosa e jasmim. Esta fio condutor olfativo tem o belo nome de “Guerlinade!”]

As maisons de perfumes independentes, por mais sólidas que fossem, não conseguiram escapar da onda de aquisições pelas gigantes de luxo e beleza. Em 1994, a gigante do luxo LVMH comprou a Guerlain. Jean-Paul Guerlain ainda ficou à frente das criações das fragrâncias da marca até 2008, quando passou o desenvolvimento dos perfumes para Thierry Wasser, com quem já vinha trabalhando.

O livro conta apenas até este ponto. Apenas enquanto a família Guerlain esteve à frente dessa marca maravilhosa e perfumes, cosméticos e maquiagem.

Adorei saber um pouco mais sobre uma de minhas marcas preferida.

La gloire est éphémère, seule la renommée est durable.

– Pierre-François-Pascal Guerlain

[A glória é passageira, apenas o renome é duradouro.]

 

Written by

Deixe uma resposta

Instagram
  • #miguelestevescardoso #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #cesarecantú #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #thubtenchodron #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #albertcamus #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #lamatseringeverest #citações #budismo #reflexõesdesilviasouza