Now reading

Livro “Laços de Família” de Clarice Lispector

Livro “Laços de Família” de Clarice Lispector
Livro “Laços de Família” de Clarice Lispector

Primeira publicação: 1960

Editora: Rocco (1998) – 136 páginas

ISBN13: 9788532508133

Prêmio literário: Prêmio Jabuti: Contos / Crônicas / Novelas (1961)

Sinopse: A Clarice Lispector se aplica, mais do que a nenhum outro escritor brasileiro, aquilo que em si próprio detectava o escritor argentino Julio Cortázar, como um estranhamento, ‘el sentimento de no estar del todo’ – a sensação de não pertencer, descrita por Clarice:

Tenho certeza de que no berço a minha primeira vontade foi de pertencer… de algum modo devia estar sentindo que não pertencia a nada nem a ninguém… Quem sabe se comecei a escrever tão cedo na vida porque, escrevendo, pelo menos eu pertencia um pouco a mim mesma.

O desajustamento crônico às pessoas, ao círculo social, às correntes literárias, ao casamento, ao próprio amor foi uma constante na vida da menina russa exilada que se transformou numa das maiores expressões da literatura brasileira. Clarice alternava sua produção de romances, crônicas, livros infantis com contos. Nestes se mostrou uma mestra incomparável.

‘Laços de família’, publicado pela primeira vez em 1960, e reeditado pela Rocco dentro do projeto que incluiu novo padrão gráfico e revisão da obra de Clarice pela especialista em crítica textual Marlene Gomes Mendes, é um tesouro da ourivesaria literária. São treze contos, hoje tidos como clássicos. Entre eles, os festejadíssimos “Amor”, “O crime do professor de Matemática”, “O búfalo” e “Feliz aniversário”, adaptado para a televisão por Ziembinsky.

Neles os personagens são sempre surpreendidos por uma modalidade perturbadora do insólito, no meio da banalidade de seus cotidianos. Clarice cria situações onde uma revelação, que desconstrói e ameaça a realidade, desvela a existência e aponta para uma apreensão filosófica da vida. Em ‘Laços de família’, Clarice aprofunda sua técnica narrativa em uma abordagem quase fenomenológica.

Trata a solidão, a morte, a incomunicabilidade e os abismos da existência através da rotina de dona-de-casa (“Devaneio e embriaguez duma rapariga”, “Amor”, “A imitação da rosa”), do mergulho trágico em uma festa familiar nos 89 anos da matriarca (“Feliz aniversário”), da domesticação da natureza mais selvagem das mulheres (“Preciosidade”, “O búfalo”), ou dos pequenos crimes cometidos contra a consciência, como o drama do professor de Matemática diante do abandono e da morte de um animal. São lições de vida na prosa definitiva e transcendente de uma sacerdotisa da nossa literatura.

 

Clarice Lispector nasceu em 10 de dezembro de 1920 na Ucrânia, mas naturalizou-se brasileira, proclamando-se pernambucana. De família judia, a autora chegou ao Brasil com um ano de idade, fugindo da perseguição aos judeus durante a Guerra Russa. Maceió foi o ponto de entrada da família em terras tupiniquins, onde já morava a tia de Clarice. Porém, seu pai resolveu mudar-se com a família para Recife, a cidade que era, na época, o mais importante centro comercial do nordeste. Ali Clarice já se interessava pela literatura, apesar da pouca idade.

A escritora estudou no Ginásio Pernambuco. Aos nove anos, sofreu o primeiro trauma: perdeu sua mãe em decorrência de sífilis, doença que teria pego por conta de um estupro sofrido durante a Guerra Civil Russa. Quando Clarice tinha 15 anos de idade, o pai decidiu se mudar para o Rio de Janeiro com os filhos. Clarice Lispector estudou nessa época em uma escola primária da Tijuca, logo mais indo para o curso preparatório da Faculdade de Direito.

Aceita na Universidade do Brasil no Curso de Direito, frustrou-se e descobriu um escape: a literatura. Um ano depois de entrar para a universidade, a autora publicou seu primeiro conto, Triunfo.

Três anos depois, seu pai faleceu em decorrência de uma cirurgia de retirada de vesícula biliar. Com a morte inesperada do pai, Clarice distanciou-se da religião judaica. Nessa época também passou a trabalhar na Agência Nacional, no Departamento de Imprensa e Propaganda. Ficou responsável por distribuir notícias aos jornais e emissoras de rádio. Após sua formatura em 1943, Clarice Lispector lançou seu primeiro romance, Perto do Coração Selvagem.

Na mesma época, casou-se com um colega de faculdade, Maury Gurgel Valente, que foi aprovado em concurso para carreira diplomata e integrou o quadro funcional do Ministério das Relações Exteriores. Isso levou Clarice a morar em diversos países com seu marido, entre eles Itália, Inglaterra, Estado Unidos e Suíça.

Em 1946, em uma viagem para o Rio de Janeiro, ela publicou seu segundo romance, O Lustre, e seu terceiro três anos depois, A cidade Sitiada.

Após 16 anos de casados e com dois filhos, Clarice e Maury separaram-se e a escritora voltou permanentemente para o Rio de Janeiro com os filhos. Pouco tempo depois da publicação do romance A Hora da Estrela, Clarice foi diagnosticada com câncer inoperável no ovário e faleceu em 9 de dezembro de 1977, um dia antes de seu aniversário de 57 anos.

 

Este livro está contido dentro da obra maior Todos os Contos, que tenho lido em parceria com a Marcia Cogitare do Blog Surtos Literários.

Cada um dos 13 contos foi comentado em publicações independentes. Este livro de contos é absolutamente maravilhoso e vale a pena ler a conhecer mais sobre essa escritora incrível.

  1.  “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #1: “Devaneio e embriaguez duma rapariga”
  2. “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #2: “Amor”
  3. “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #3: “Uma galinha”
  4. “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #4: “A imitação da rosa”
  5. “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #5: “Feliz Aniversário”
  6. “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #6: “A menor mulher do mundo”
  7. “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #7: “O jantar”
  8. “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #8: “Preciosidade”
  9. “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #9: “Os laços de família”
  10. “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #10: “Começos de uma fortuna”
  11. “Todos os Contos” de Clarice Lispector – Laços de Família #11: “Mistério em São Cristóvão”
  12. Laços de Família #12: “O crime do professor de matemática”
  13. Laços de Família #13: “O búfalo”

 

Written by

Instagram
  • #gilbertcesbron #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #catão #ocensor #citações #romaantiga #reflexõesdesilviasouza
  • #françoisehéritier #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #jorgeluisborges #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #miguelestevescardoso #citações #reflexõesdesilviasouza