Terror
Previous post
Now reading

Livro: “Anna Kariênina” (Parte 2)

Livro: “Anna Kariênina” (Parte 2)
Livro: “Anna Kariênina” (Parte 2)

Pela primeira vez, concebeu com clareza a vida pessoal da esposa, seus pensamentos, seus desejos, e a ideia de que ela podia e devia ter uma vida própria lhe pareceu tão assustadora que tratou de rechaçá-la às pressas.

(reflexões de Aleksiei Aleksándrovitch Kariênin, marido de Anna)

Devo dizer e deixar bem claro o seguinte: em primeiro lugar, uma exposição sobre a importância da opinião pública e do decoro; em segundo lugar, uma explanação do significado religioso do casamento; em terceiro lugar, se necessário, uma referência ao infortúnio que pode recair sobre nosso filho; em quarto lugar, uma referência ao infortúnio dela mesma.

(organização do pensamento de Aleksiei Aleksándrovitch Kariênin, marido de Anna, com as considerações que ele pensou em lhe fazer ao racionalizar seu comportamento frente à comunicação da infidelidade de Anna).

Um livro do final do século XIX, eu sei!

Mas ainda vejo isso acontecendo. A mulher não é vista como alguém repleto de sonhos, desejos e questionamentos por muitos homens. Ainda há um rebaixamento muito grande da mulher. E suas ações precisam, ainda, ser irrepreensíveis.

Eu sei que isso está mudando. Eu sei! Sei que o preconceito vem diminuindo, que a mulher vem conquistando direitos. O comportamento dos homens tem passado por julgamentos também.

Mas sabe quando a gente ainda sente lá no fundo que ainda falta mudar dentro das pessoas? Lá no íntimo?

Por enquanto, as mudanças e conquistas são daquelas coisas impostas porque fazem sentido, é o correto. Mas dentro das pessoas isso não pode ser imposto. As mudanças reais, aquelas de hábito, que cada pessoa carrega consigo, vêm de aprendizado, vivência, exemplos.

Se meu filho sempre via que eu tirava a mesa após a refeição, eu lavava a louça, organizava a cozinha, e ele me viu fazer isso durante os 9 primeiros anos da sua vida, eu não poderia demonstrar espanto quando, ao me separar, eu pedi sua ajuda para lavar a louça e ele me falou: “eu não vou fazer um trabalho de mulher!”.

Mas escutar aquilo me chocou! Porque eu percebi que não são as palavras que educam, mas os exemplos que somos para os filhos. É claro que não é preciso que um casamento se desfaça para que as mudanças aconteçam. Isso aconteceu com o meu. Não precisa acontecer com o seu, nem de mais ninguém.

Minha torcida é para que a gente saiba ser um exemplo melhor para os nossos filhos. A escola ajuda a educar. Mas o principal papel de construir cidadãos pertence aos pais, à família.

Parece tão óbvio, não é? E por que a gente simplesmente não segue?

Porque nós temos que mudar. Temos que nos vigiar constantemente. Porque é nos pequenos atos que nos traímos: um comentário, um olhar, uma ironia.

O dia em que eu perder a esperança de que sejamos capazes de fazer de nossos filhos cidadãos melhores para o mundo, acho que perco completamente a vontade de viver.

E que cada ser humano receba o respeito que merece.

– Sílvia Souza

(15/03/2015)

Written by

6 Comments
  • laynnecris disse:

    Oi… EStou louca procurando estes livros para comprar… quero muito ler! Adorei ler Tolstói…

    • Silvia Souza disse:

      Que livro você leu dele?
      Gostei muito dele, mas acho que gostei mais do Dostoievski, se tiver que escolher um…
      Super beijo!

  • Tem gente que diz que no futuro haverá a morte do gênero masculino /feminino. As pessoas buscarão seus pares românticos baseados em afinidades e não em serem fêmeas ou machos.

    Não faço ideia se isso se tornará realidade, mas o mais importante é – Quem vai lavar essa louça hein? 😜

    Hug

    • Silvia Souza disse:

      Eu até acharia bom que chegássemos a esse ponto de não haver distinção de gênero. Poderia ser um indicativo de que, finalmente, teríamos atingido um grau igualdade importante. Mas, se a gente pensar no mundo todo, na cabeça das pessoas, nas sociedades onde as mulheres não têm direitos, onde tantas violências ainda são cometidas, acho que estamos bem longe disso…
      Eu nem me importaria de lavar a louça, se tiver quem faça o supermercado… 😀
      Um lindo domingo!

  • Eu toparia fazer mercado, mas o que me preocupa é a feira.
    Se existe algo que me irrita no urtimu é isso, pra mim feira é a visão do inferno 😵

    Um domingo incrível pra vc 😘

Instagram
  • #gilbertcesbron #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #catão #ocensor #citações #romaantiga #reflexõesdesilviasouza
  • #françoisehéritier #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #jorgeluisborges #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #miguelestevescardoso #citações #reflexõesdesilviasouza