Ser
Previous post
Now reading

Grandes marcas de perfume: Maison Houbigant

Grandes marcas de perfume: Maison Houbigant
Grandes marcas de perfume: Maison Houbigant

Criada em 1775, a Maison Houbigant é uma das mais antigas da perfumaria. Ao longo destes séculos de existência, os perfumistas da marca contribuíram muito para a evolução na formulação das fragrâncias e foram essenciais para a indústria dos perfumes como conhecemos hoje.

Jean-François Houbigant abriu a primeira loja na Rua do Faubourg Saint-Honoré em 1775. Em pouco tempo, o perfume chegou ao palácio real; a partir de então, os perfumes criados pela marca foram usados pelas famílias reais e pela nobreza da Europa.

Os perfumes da marca acompanhavam Napoleão em suas campanhas militares pela Europa. Ainda hoje, uma nota fiscal de venda ao “Príncipe Napoleão” datada de 1815 enfeita a parede da loja da marca.

Os perfumes da Maison Houbigant foram usados pela Rainha Victória da Inglaterra a partir de 1838 e também pelo Czar Alexandre III da Rússia. Todos os registros de vendas foram conservados como uma memória histórica da maison.

Em 1880, o perfumista Paul Parquet assumiu a chefia da maison. Sob sua direção, foi criado o perfume Fougère Royale, uma fragrância que definiu uma nova categoria de perfumes, a Fougère, que ainda hoje é uma das famílias mais utilizadas para os perfumes masculinos. Além disso, foi o primeiro perfume a ser criado usando essências sintéticas; embora, na época, esse fato não tenha sido divulgado, porque poderia desmerecer a criação. Ele criou outros perfumes utilizando ingredientes sintéticos; entre eles: Le Parfum Idéal em 1900, Cœur de Jeanette em 1908 e Parfum Inconnu em 1910.

Nessa época, a marca cresceu e passou a ser representada em vários países, inclusive no Brasil.

Em 1912, o perfumista Bienaimé assumiu o lugar de Paul Parquet e criou Quelques Fleurs, o primeiro bouquet constituído de várias flores.

Durante a Segunda Guerra, a fábrica de perfumes foi bombardeada e eles tiveram muita dificuldade de manter a produção. Eles se recusaram a usar produtos menos nobres e alguns perfumes precisaram ser temporariamente descontinuados. Desde esse evento, a marca perdeu um pouco sua colocação no mercado de perfumes.

A Maison Houbigant foi à falência em 1993. Em 1994, vendeu a licença de seus perfumes à Renaissance Cosmetics. Entre 1994 e 1999, muitas brigas surgiram entre as duas companhias e a própria Renaissance abriu falência.

Mas o nome original já tinha decaído e os perfumes eram vendidos em farmácias, sem muito valor e usando matérias primas mais baratas. A marca foi depois comprada por outra empresa, New Dana.

Aos poucos, alguns descendentes conseguiram recomprar o nome e as licenças de alguns perfumes e vêm tentando reconstruir a Maison Houbigant. Esse projeto começou a ser colocado em prática em 2005.

Os perfumes continuam sendo produzidos em Grasse e a empresa continua mantendo a administração familiar.

Mas, infelizmente, a maioria das composições antigas foram totalmente descontinuadas. Voltaram a ser produzidos os perfumes Fougère Royale Quelques Fleurs L’Original. Outros perfumes foram produzidos para integrar as fragrâncias da marca.

Eu entendo as dificuldade em se manter os produtos e a empresa por quase 250 anos. Mas deveria ser feito, nem que fosse pela história dessa arte que é a perfumaria.

 

Fonte:

  1. La Maison Houbigant
  2. Houbigan Perfumes

 

Written by

1 Comment

Instagram
  • #miguelestevescardoso #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #cesarecantú #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #thubtenchodron #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #albertcamus #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #lamatseringeverest #citações #budismo #reflexõesdesilviasouza