Now reading

Filme “Star Wars: O Despertar da Força” – 2015 (“Star Wars: The Force Awakens”)

O que nunca foi
Next post
Filme “Star Wars: O Despertar da Força” – 2015 (“Star Wars: The Force Awakens”)
Filme “Star Wars: O Despertar da Força” – 2015 (“Star Wars: The Force Awakens”)

E, finalmente, assisti ao filme que já é a maior bilheteria de todos os tempos.

Já tinha Star Wars no meu computador, através de um complemento do Google. Já conhecia o droide BB8, porque meu filho trouxe um dos Estados Unidos. Comprei o Monopoly Star Wars para eles no Natal. Há dias não escuto falar sobre outro assunto. Principalmente, porque eles já tinham assistido, mas faziam questão que eu visse também.

Então, hoje, fomos os 3 ao cinema; eles para ver pela segunda vez e eu pela primeira. Eles se negaram a me contar qualquer coisa que pudesse ser um spoiler. Ou seja, eu não sabia praticamente nada.

O fato é que gosto da franquia Star Wars. Assisti a todos os filmes e, sempre que a idade permitiu, fui ao cinema para ver. Mas não sou fanática.

Eu não vou escrever sobre os detalhes do filme. Mas quero escrever sobre um aspecto específico e ele pode, sim, ser um spoiler. De qualquer forma, imagino que os maiores fãs já devem ter ido ao cinema.

Esse novo filme saiu após a Disney comprar a Lucasfilm. A Disney já veio mudando algumas coisas em seus filmes nos últimos anos; em especial, a importância dos personagens femininos e a mudança da caracterização que eles vêm recebendo.

As mulheres têm uma influência muito grande na escolha dos filmes que serão vistos pelo casal. Há alguns anos, os estúdios têm incorporado detalhes nos filmes que atraia, em especial, as espectadoras.

“Frozen” é a animação da Disney com maior bilheteria de todos os tempos e está entre as cinco principais bilheterias entre todos os filmes, com mais de US$ 1,219 bilhão. E é o filme onde duas irmãs são as personagens principais e não há uma história de amor de princesa, nem um príncipe encantado. Esse é um dado bastante interessante.

Depois dessa minha divagação, voltamos a “Star Wars – O Despertar da Força” sob os estúdios Disney. A personagem mais carismáticas e uma das mais importantes nesse filme da nova trilogia é uma mulher, Rey. Ela tem uma grande habilidade para usar a Força, mesmo antes de ser treinada e tudo indica que irá se tornar uma Jedi.

Embora eu tenha encontrado algumas citações a mulheres Jedi em filmes anteriores, ter uma mulher protagonizando um papel de extrema importância dentro da saga Star Wars é um marco. Ao menos para mim é.

Sempre defendi a força das mulheres (não no sentido do Lado Negro ou Jedi). Temos um poder imenso e sempre fomos colocadas em segundo plano. E, não sei exatamente porque, mas aceitamos esse papel secundário ao longo dos séculos nas mais variadas civilizações, povos e culturas.

Hollywood é muito sensível para captar mudanças, porque precisa se adaptar para atrair as pessoas ao cinema. E também exerce uma enorme importância como determinação de comportamento e na geração de mudanças na sociedade. Então, tanto vejo de forma positiva a percepção crescente dos estúdios sobre as mulheres como formadoras de opinião, como acho que eles podem ser de grande ajuda na briga para que haja um comportamento mais justo e igualitário.
 

 

– Sílvia Souza

 

 

Written by

9 Comments
  • Jamile disse:

    Grande ponto a ser notado no filme, e no que vem acontecendo no mundo também, Sílvia.
    Eu particularmente não assisti ainda, mas a pouco tempo assisti aos outros seis, e me questionei o motivo de não tido o interesse de ver antes, e concluí que talvez o fato da força feminina no filme estar em segundo plano – com poucos exemplos coadjuvantes -, nunca foi algo que me atraiu.
    É de máxima importância tudo o que tem acontecido para reverter esse quadro, e colocar as mulheres numa posição igualitária, onde nós mesmas não nos discriminemos por sermos o que somos, mulheres.

  • palhao disse:

    Sua análise foi muito interessante, Sílvia!

    Eu sou grande fã da franquia e gostei muito de uma protagonista mulher. Ainda que outras mulheres tenham sido importantes, como a Princesa Leia e a Padmé, realmente a importância da Rey na história é maior.

    Tomara que os efeitos positivos possam, sim, ser vistos na sociedade, com mais igualdade a cada dia.

    Grande abraço,
    Lucas Palhão

    • Silvia Souza disse:

      Obrigada, Lucas, pelo comentário.
      Eu me lembrei das duas.
      Me corrija se eu estiver errada…
      A Princesa Leia, que é da primeira trilogia, passou por cenas muito machistas e de dominação, como quando ela ficou escrava do Jabba.
      A Padmé teve importância, como senadora (?) e foi um papel mais forte.
      Mas a possibilidade de uma mulher com a Força e a chance de ser uma Jedi é algo novo e muito significativo. Pelo menos, eu achei isso.
      Abraço!

  • ¡Buen cambio de diseño!

  • E também um dos atores principais é um negro.

  • Olá, Silvia. Não assisti e nem vou, nunca me interessei por esse filme (não assisti a nenhum da franquia), então todo spoiler é bem vindo rs. Mas achei bacana que mais um filme com grande apelo traga esse tipo de discussão. Vi bastante gente comentando a respeito disso, então significa que foi algo que chamou a atenção mesmo. Tomara que os próximos filmes tenham essa postura, né? Estou pra ver Mad Max que também dizer ser um ode às mulheres… rs Vamos ver! Beijo

    • Silvia Souza disse:

      Não vi Mad Max. Não faz meu estilo também. Mas ouvi falar exatamente isso… sobre o papel da Charlize Theron…
      Se você assistir, me conta se vale a pena…
      😘

Instagram
  • #gilbertcesbron #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #catão #ocensor #citações #romaantiga #reflexõesdesilviasouza
  • #françoisehéritier #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #jorgeluisborges #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #miguelestevescardoso #citações #reflexõesdesilviasouza