Now reading

Filme “Operação Valquíria” (“Valkyrie” – 2008)

Filme “Operação Valquíria” (“Valkyrie” – 2008)
Filme “Operação Valquíria” (“Valkyrie” – 2008)

 

Mais um filme antigo que não me interessou na época em que passou no cinema. Na minha busca recente pela compreensão do período que envolve a Segunda Guerra Mundial, resolvi assisti-lo.

O filme conta com os atores Tom CruiseKenneth Branagh, Bill Nighy, Tom Wilkinson e Carice van Houten. Com a Alemanha perdendo espaço e tendo que retroceder, alguns membros do exército pensam em um plano para matar Hitler e tomar o poder, com o uso dos reservistas e acusando a SS de tentativa de um golpe. Todo o plano é construído e tenta-se o melhor momento para colocá-lo em prática. O interesse era de tentar negociar a paz com os aliados após a tomada do poder.

O filme conta a história real e refere que este foi a última das 15 tentativas contra a vida de Adolf Hitler. A história nos mostrou que essa tentativa também falhou; Hitler se suicidou junto de sua esposa quando os Aliados dominaram a Alemanha.

O filme ficou bem abaixo das minhas expectativas. Mas foi interessante para que eu aprendesse mais alguns fatos que eu desconhecia sobre a Segunda Guerra.

Ao procurar alguns dados adicionais sobre os atentados contra a vida de Hitler, achei um site que conta sobre assassinatos e tentativas de assassinatos (AssassinationInfo.com). Ele montaram uma tabela contando sobre cada um destes atentados. Não sei se todas as informações são confiáveis e onde foram obtidas; mas eles descrevem muito mais do que 15 atentados.

Traduzi as informações do site, mesmo sem saber ao certo se as informações foram extraídas de fontes seguras.

  1. 1921, Munique: tiros foram disparados contra Hitler, provenientes de uma multidão à qual ele se dirigia.
  2. 1923, Turíngia: tiros foram disparados contra Hitler de uma multidão.
  3. 1923, Leipzig: tiros foram disparados contra o carro de Hitler.
  4. 1932, Berlim: Hitler jantava habitualmente no Hotel Kaiserhof com os membros de sua equipe. Uma noite, em janeiro de 1932, ele jantou no hotel com sua equipe, como de costume, mas, cerca uma hora após o jantar, várias pessoas ficaram doentes com intoxicação alimentar. Hitler foi o menos afetado, possivelmente porque ele comeu uma dieta vegetariana. Ninguém morreu e ninguém foi acusado.
  5. 1932, Munique: Hitler estava viajando de Munique para Weimar com Joseph Goebbels e William Frick. Tiros foram disparados contra o carro em que viajavam, mas ninguém ficou ferido.
  6. 1932, Stralsund: Hitler estava viajando em um carro perto de Stralsund. Um grupo de homens estavam esperando em uma curva fechada com a intenção de emboscar o carro e matar Hitler. No entanto, o carro conseguiu fugir.
  7. 1932, Freiburg: Hitler fez um discurso à massa de pessoas em Freiburg em 29 de julho. Logo antes ou logo após o discurso, uma multidão atirou pedras contra seu carro. Uma pedra atingiu-o na cabeça, mas ele saiu ileso.
  8. 1933, Konigsberg: Hitler era aguardado para fazer um discurso eleitoral para uma multidão no dia 4 de março, um dia antes das eleições para o Reichstag. Kurt Lutter era carpinteiro e líder de um grupo anti nazista que queria matar Hitler. Duas reuniões secretas foram realizadas em fevereiro para planejar os detalhes, mas um dos membros do grupo vazou detalhes da trama às autoridades e Lutter foi preso no dia 03 de março.
  9. 1933, Potsdam Garnisonkirche: Hitler deveria participar de uma cerimônia para inaugurar o novo edifício do Reichstag e para comemorar o acordo que levou à aprovação da Lei de Ratificação. Conhecido como o Dia de Potsdam, a cerimônia seria realizada na Igreja Garrison (Garnisonkirche) em 21 de março. Um dia antes, as autoridades da descobriram um túnel que tinha sido construído debaixo da igreja. Acredita-se que o túnel seria preenchido com explosivos para serem detonados enquanto Hitler estivesse na igreja.
  10. 1933, Obersalzberg: um homem desconhecido vestindo um uniforme SA e carregando uma arma foi descoberta em Obersalzberg perto de Berchtesgaden. O homem foi preso e descobriu-se que ele era um candidato a assassino esperando para atirar Hitler quando este fizesse sua caminhada vespertina.
  11. 1933, entre Rosenheim e Obersalzberg: o carro em que Hitler estava foi baleado.
  12. 1935, Berlim: Dr. Helmuth Mylius e Capitão Hermann Ehrhardt traçaram um plano para se infiltrar na SS com seus próprios homens e, uma vez que tivessem apoio suficiente, iriam matar Hitler e derrubar o regime. Infelizmente, o plano foi descoberto pela Gestapo.
  13. 1935, Berghof: Heinrich Grunow foi um dos guarda-costas de Hitler. Acredita-se que ele queria se vingar pelo assassinato de Ernst Rohm. Ele sabia que Hitler estava voltando para Berchtesgarten e se escondeu em um ponto onde o carro teve de reduzir a velocidade. Neste momento, Grunow disparou tiros contra o carro atingindo o homem no banco de trás. Em seguida, ele se matou. Infelizmente (para o assassino), Hitler estava dirigindo o carro e era seu motorista que estava sentado no banco de trás.
  14. 1935, Berlim: o grupo radical Plot Markwitz planejou matar Hitler. No entanto, o grupo foi infiltrado pela Gestapo e todos os membros morreram antes do plano ser colocado em prática.
  15. 1936, Nuremburg: Helmut Hirsch foi recrutado por Otto Strasser, o oponente de Hitler, para ajudar em um plano para matá-lo. Hirsch tinha que entrar na Alemanha com uma bomba em sua mala. Quando Hirsch foi se encontrar com seu contato, este tinha sido preso havia três dias e Hirsch se encontrou com um agente da Gestapo, que o prendeu. Ele foi julgado e decapitado março de 1937.
  16. 1937, Berlim:  um soldado plantou uma bomba sob um palco onde Hitler estaria para fazer um discurso. Achando que o discurso duraria muito tempo, ele decidiu ir ao banheiro antes de detonar a bomba. Acabou ficando trancado no banheiro e foi incapaz de se libertar para detoná-la.
  17. 1937, Dr. Johannes von Dohnanyi tentou recrutar um ajudante de Hitler, Hans Wiedemann, e persuadi-lo a atirar em Hitler.
  18. 1938, Maurice Bavaud era um jovem suíço que queria assassinar Hitler. Bavaud foi visitar parentes na Alemanha antes de comprar uma arma. Ele então pegou um trem para Berlim, onde ele esperava encontrar Hitler. Poucos dias antes de sua chegada, Hitler partira para Berchtesgarten. Bavaud tomou um trem para a Baviera com a intenção de ir para Berchtesgarten. Uma vez na Baviera, soube que Hitler estaria tomando parte em um desfile. Bavaud fingiu ser um jornalista suíço, a fim de obter uma posição na arquibancada para o desfile. Mas Hitler estava marchando longe da arquibancada e Bavaud não foi capaz de obter uma imagem clara. Bavaud decidiu forjar uma carta do ministro das Relações Exteriores francês tencionando usar isso para chegar perto de Hitler, dizendo que ele deveria entregá-la pessoalmente. No entanto, uma vez que ele chegou a Berchtesgarten, soube que Hitler estava em Berlim. Então ele pegou outro trem para Berlim, chegando quando Hitler já retornava para Bertchesgarten. Frustrado e sem dinheiro, Bavaud decidiu voltar para casa. Mas ele não tinha mais dinheiro para chegar à Suíça; ele decidiu ir para a França e de lá obter ajuda para voltar para a Suíça. Ele acabou sendo parado pelo condutor do trem por ser um estrangeiro com a posse de uma arma. Ele foi entregue à Gestapo. Bavaud confessou e foi executado.
  19. 1938, Hans Oster era um veterano da Primeira Guerra Mundial e chefe da contra-inteligência. Ele não gostava de Hitler. Trabalhando dentro do regime nazista ele recrutou um número de homens que pensavam como ele e juntos arquitetaram um plano para derrubar Hitler. O plano estava centrado na invasão iminente da Tchecoslováquia. A ideia era que Inglaterra e França declarassem guerra à Alemanha após a invasão da Tchecoslováquia e, em seguida, o Grupo Oster iria derrubar Hitler e impedir a guerra. O grupo não tinha contabilizado a possibilidade de que a Grã-Bretanha e a França não iriam declarar guerra e quando isso não aconteceu, o plano foi abandonado.
  20. 1939, Berlim: o general Kurt von Hammerstein-Equord era um veterano militar e um adversário de Hitler. Ele convidou Hitler para visitá-lo em Colônia. No entanto, Hitler estava ciente dos sentimentos do geral em relação a ele e recusou o convite.
  21. 1939, Munique: Georg Elser era um carpinteiro que tinha sido recentemente libertado do campo de concentração de Dachau, para onde ele tinha sido enviado por ser um comunista. Elser sabia que Hitler comparecia a um comício anual no aniversário da Cervejaria Putsch. Ele conseguiu acesso à sala onde Hitler falaria e construiu uma área secreta em um dos pilares logo atrás do palco. Elser conseguiu obter um material explosivo e fez uma bomba. Ele usou um relógio como detonador. A bomba foi programada para explodir às 21:30. No entanto, naquele ano em particular, os discursos foram interrompidos mais cedo e Hitler tinha um trem agendado para retornar a Berlim. Quando a bomba foi detonada às 21:30, Hitler estava na estação de trem.
  22. 1940, Paris: Em 22 de junho de 1940, a França assinou um acordo de armistício com a Alemanha. O desfile da vitória por Paris foi planejado para 27 de julho e o Conde FritzDietlof von der Schulenberg havia planejado atirar em Hitler, enquanto este observava o desfile. No entanto, Hitler cancelou o desfile.
  23. 1941, Paris: o Major Hans Alexander von Voss e o Capitão Graf von Waldersee iriam atirar Hitler durante um desfile do exército alemão. A trama falhou porque Hitler cancelou o desfile.
  24. 1941, Borisov: o Major-general Henning von Tresckow foi um alto funcionário que estava no centro de um movimento de resistência alemã. Ele solicitou a Hitler que viesse visitá-lo na Sede Central do Exército. Hitler concordou e depois de várias visitas canceladas, finalmente foi. Infelizmente, a maioria daqueles que tencionavam se tornar assassinos de Hitler acabam desistindo depois de ver o número de guardas de segurança que cercavam Hitler.
  25. 1943, o major-general Henning von Tresckow, o Marechal de Campo Günther von Kluge e outros simpatizantes decidiram plantar explosivos no avião de Hitler para detonarem no ar. A bomba foi disfarçada para se parecer com duas garrafas de conhaque. Durante uma reunião de almoço, Tresckow se aproximou do Coronel Heinz Brandt e perguntou se ele levaria as duas garrafas para alguém em Berlim. Brandt concordou e uma vez a bordo colocou as garrafas em um compartimento superior sem aquecimento. O frio do armário interferiu com o mecanismo de detonação e a bomba não explodiu.
  26. 1943, Berlim: Von Gertsdorff e Treskow decidiram que um homem-bomba seria a única maneira de matar Hitler. Von Gertsdorff concordou em ser o homem-bomba. O local foi escolhido para ser uma inspeção programada ao Grupo Central do Exército. Von Gertsdorff armou a bomba quando Hitler chegou; a bomba iria quando Hitler cumprimentasse von Gertsdorff ou enquanto fizessem a inspeção. No entanto, quando Hitler chegou, ele passou direto por von Gertsdorff. Embora Von Gertsdorff tentasse atrair a atenção de Hitler, ele foi ignorado e, após poucos minutos, Hitler tinha deixado a área. Von Gertsdorff foi para o banheiro mais próximo e desarmou a bomba.
  27. 1943, Rastenburg: o coronel Stieff Tresckow queria ser designado como Chefe de Gabinete, mas Manstein recusou-se à nomeação e arranjou o envio de Tresckow para a Frente Oriental. O Coronel Stieff tinha conseguido explosivos para o grupo de resistência de Tresckow. Como Tresckow foi para o leste, os explosivos foram enterrados para serem usados posteriormente. No entanto, por alguma razão, os explosivos detonaram aleatoriamente e não puderam ser usados.
  28. 1943, Berlim: Hitler iria inspecionar algumas novas amostras de uniformes. O Capitão Axel von dem Bussche que fazia parte do grupo de resistência de Tresckow foi selecionado para demonstrar os uniformes. Ele concordou em realizar um dispositivo explosivo que ele iria detonar ao lado de Hitler. Infelizmente, a visita foi adiada para o dia seguinte e, durante a noite, o vagão de trem contendo os uniformes foi destruído durante um ataque aéreo.
  29. 1944, Berchtesgarten: um grupo de aviadores norte-americanos planejaram soltar grandes quantidades de material pornográfico na região onde Hitler morava. Eles achavam que Hitler, normalmente puritano, ficaria louco e iria querer se matar. O plano foi bloqueado pelos militares como tolo e bobo.
  30. 1944, Berchtesgarten: Eberhard von Breitenbuch foi outro dos homens de resistência de Tresckow, que era assessor do Marechal de Campo Busch. Quando o Marechal de Campo e seu ajudante foram convocados para uma conferência no Berchtesgarten, Breitenbuch decidiu esconder uma arma e atirar Hitler durante a conferência. No entanto, quando o par chegou, a entrada de Breitenbuch foi bloqueada com a explicação de que Hitler tinha decidido que assessores não poderiam participar.
  31. 1944, Berchtesgarten: o coronel Claus von Stauffenberg tinha sido um membro do movimento de resistência de Tresckow e foi uma força motriz na Operação Valquíria, um plano para detonar uma bomba ao lado de Hitler. A bomba estaria em uma pasta, que poderia ser colocada embaixo da mesa. A reunião foi marcada, mas, por algum motivo Stauffenberg decidiu não detonar a bomba.
  32. 1944, Berchtesgarten: outra reunião e Stauffenberg chegou com sua pasta mortal. No entanto, Himmler não estava presente na reunião e Stauffenberg decidiu abortar a tentativa.
  33. 1944, Wolfschanze: outra reunião, desta vez na Toca do Lobo de Hitler. A reunião tinha sido mudada para um edifício de madeira na parte externa em vez do bunker de concreto onde normalmente era realizada. Stauffenberg chegou, mas Hitler tinha adiantado a hora da reunião, deixando pouco tempo para Stauffenberg aprontar a bomba. Como resultado, Stauffenberg só foi capaz de armar uma das duas bombas na pasta. Por alguma razão, Stauffenberg removeu a bomba desarmada da pasta. Ele entrou na sala de reunião e colocou a bomba debaixo da mesa e tomou o seu lugar. Pouco depois Stauffenberg saiu da sala dizendo que ele tinha um telefonema urgente para fazer. Quando a bomba explodiu, Stauffenberg assumiu que ele tinha sido bem sucedido e foi para seu carro e diretamente para o aeroporto, onde um avião o aguardava para levá-lo para Berlim. Lá ele e outros membros do grupo assumiriam o governo. Stauffenberg não tinha idéia de que Hitler ainda estava vivo. Como Hitler fez um pronunciamento no rádio dizendo que ele estava vivo, os homens da resistência não conseguiram tomar o controle. Percebeu-se que Stauffenberg havia armado a bomba; ele foi preso e executado por fuzilamento.
  34. 1945, Berlim: Albert Speer era ministro do Armamento de Hitler. Ele decidiu colocar um pouco de gás letal no sistema de ventilação do bunker de Hitler. No entanto, antes que ele pudesse adquirir gás suficiente, Hitler dobrou a segurança no bunker e Speer não teve oportunidade de colocar seu plano em ação.

Curiosidades sobre os planos para matar Hitler. Não sei se as informações são todas confiáveis.

Written by

Instagram
  • #gilbertcesbron #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #catão #ocensor #citações #romaantiga #reflexõesdesilviasouza
  • #françoisehéritier #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #jorgeluisborges #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #miguelestevescardoso #citações #reflexõesdesilviasouza