Now reading

Estou só

Estou só
Estou só

De repente, estou só. Se eu morresse agora, quantos dias seriam necessários para alguém sentir minha falta? Olho pela janela e vejo pessoas nas sacadas em frente, escuto vozes de crianças, buzinas de carros. O elevador se movimenta tão perto de mim. Uma porta bate. Uma campainha toca. O mundo está vivo e repleto de pessoas. E eu estou só. Se eu morresse agora…

Você costumava me dar bom dia assim que acordava. E, nessa época, eu me sentia parte da engrenagem à minha volta. Ainda assim, eu estava só. Uma solidão preenchida por um bom dia que me esperava na caixa de entrada dos meus e-mails, como uma forma de me lembrar de que há uma existência em mim.

Era um bom dia virtual que esperava uma resposta virtual. Mas tinha o poder mágico de me fazer sonhar com viagens ao redor do mundo e de me fazer acreditar que alguém se importava com o fato de meu coração continuar batendo.

Quantas pessoas se acovardam diante da vida por medo de ficarem sós? Como estou agora. Quem sou eu para julgar alguém que tenha medo da solidão? Ninguém! Eu também tinha medo da solidão. Medo de estar como estou. Nesse silêncio interior, na invisibilidade completa para o mundo à minha volta, de tal forma que, se eu morresse agora…

O problema é que meu medo da solidão foi ficando pequeno frente à minha fome de experimentar a vida. A vontade de fazer minhas escolhas e assumir meus erros cresceu demais e engoliu o medo de ficar sozinha. O medo da solidão nunca diminuiu. Foi o buraco dentro de mim que se agigantou.

E agora, estou só. Mas nada conseguiu preencher o buraco; não consegui saciar minha sede de vida. Outros medos vieram. Não tenho mais você e mais ninguém. Porque eu não consigo mais achar quem veja dentro de mim; alguém que enxergue minha essência, que entenda meus pensamentos, que segure minha mão em silêncio, que enxugue minhas lágrimas sem perguntar por que elas caem.

Ficarei só. Eternamente só. Porque não consigo mais me misturar aos sons do mundo. De repente, percebo que sou feita de outra matéria. Algo ainda não inventado. E que talvez nunca seja…

Eu me pergunto se sou apenas eu que sinto saudades. Não digo saudades do que passou. Mas saudades de todas as pessoas que de alguma forma deixaram uma marca em mim e que me fizeram ser o que sou hoje. Você está entre elas. Estou só. Mas não estou isolada. De várias formas, fui sendo moldada pelas experiências que tive na vida e pelas pessoas que cruzaram meu caminho.

Será que você não se lembra? Queria entender como centenas de pessoas percorrem meu pensamento em segundos e penso como estará cada uma delas. Desejo perguntar, escrever, ligar. E me acovardo. Imagino se você se acovarda também e mantém seu silêncio fazendo de conta que eu nunca existi.

As coisas são assim. As pessoas são assim. São os medos que regem nossas vidas. E apenas conseguimos dar um passo real em direção a algo melhor nos raros momentos em que a fome de vida suplanta todos os medos. O problema é que essa fome passa… mesmo que não seja saciada, ela passa… ou diminui, ficando menor que os medos novamente.

E chega a esse ponto em que estou agora. Só. Totalmente só. De forma que, se eu morresse agora…

– Sílvia Souza

Written by

11 Comments
  • M.Raydo disse:

    Assim como muitas outras pessoas, eu espero que você não morra agora! Não por um sentimento egoista de ter sua presença por aqui, mas por ter em você uma presença amiga. Daquelas distantes e que mal lembro a voz, de não reconhecer na rua, mas por acreditar que há o que dizer. Sou alguém de quem não se espera nada, além da amizade distante. Porém, ainda assim, verdadeira! Não morra agora, senão por você mesma, mas este cara aqui, que é comum, mas que ainda tem muito o que dizer! Não morra, pela nossa amizade! Esta que acaba de começar e que que para você ainda signifique muito pouco. Apenas… Não morra ainda 🙂

  • Costumo dizer que o a solidão é o mal do mundo.

  • M.Raydo disse:

    Ok! Só se vc arrumar a minha resposta pq tem varios erros! Percebeu que meu notebook está de volta?! Mas, apresenta alguns problemas, entre eles a lentidão,por isso, acabo errando mais do que o normal no texto! Ele não está acompanhando muito o que deve ser feito!kkkk

  • sibilahonda disse:

    Estamos todos sós de alguma forma

  • vileite disse:

    Excelente e reflexivo texto !
    Na realidade , por pior que seja a situação vivada , nunca estaremos “só” se mantivermos a Fé num Poder Maior e a Esperança de que dias melhores advirão !

  • mariel disse:

    Sempre gostei da minha companhia. Adorei o texto

Instagram
  • #albertcamus #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #lamatseringeverest #citações #budismo #reflexõesdesilviasouza
  • #honorédebalzac #citações #trechosliterarios #amulherdetrintaanos #reflexõesdesilviasouza
  • #edmundburke #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #rubemalves #citações #reflexõesdesilviasouza