Diálogos familiares
Previous post
Now reading

Como não fazer outra pessoa sofrer

Alguns pecados
Next post
Como não fazer outra pessoa sofrer
Como não fazer outra pessoa sofrer

Conheci uma pessoa recentemente que me disse que há sempre formas de evitar causar sofrimento a outras pessoas. De imediato, fui contrária a essa colocação; porque acho que há momentos em que causamos sofrimento a outros, mesmo que não seja intencional, por mágoas ou traumas nossos ou por causa de tantos cantos desconhecidos do nosso subconsciente.

Essa afirmação tão simples levou-me a pensar e avaliar melhor a questão. Ainda não concordo totalmente com ela. Mas será que não seria possível evitar as tristezas que causamos na grande maioria das vezes? Mentiras. Omissões. Traições. Palavras rudes. Descaso. Grosseria. Gritos. Ataques. Violência. Desprezo. Não são esses os principais motivos que levam uma pessoa a fazer outra sofrer ou chorar ou se magoar? Talvez haja mais alguns que eu possa ter me esquecido.

E, dentre esses motivos, qual não poderia ser evitado apenas com o ato de respirar fundo, pensar no que se está fazendo (ou deixando de fazer), colocar-se no lugar da outra pessoa e reavaliar a situação antes que seja tarde demais? A minoria.

O problema é que se age impulsivamente, de forma egoísta e autocentrada. É fácil olharmos para nós mesmos e muito complicado nos colocarmos na posição dos outros. Teríamos que ter empatia. Mas não dá para treinar e desenvolver essa qualidade? Aristóteles acreditava que as virtudes deviam ser colocadas em prática desde a infância, até que se tornassem um hábito e passassem a ser atos absolutamente automáticos na vida das pessoas.

Por que as pessoas se preocupam cada vez menos em praticar empatia e compaixão? Olha-se tanto para si mesmo e não vejo pessoas mais felizes com esse comportamento. Muito pelo contrário. Vivemos em um mundo de pessoas insatisfeitas, buscando algo que elas próprias desconhecem; e, nessa busca, não se importam em usar todos os artifícios disponíveis, inclusive causando sofrimento e mágoa a outras pessoas. Para que mesmo? Para o nada… porque é a busca de preencher esse vazio existencial, mas que nunca poderá ser preenchido por bens materiais ou posições sociais.

Talvez não possamos evitar todo o mal que causamos aos outros. Mas creio ser possível evitar a maior parte dele. E acredito, de verdade, que se tomássemos essa atitude de não magoar outras pessoas, de não fazê-las sofrer, provavelmente, conseguiríamos preencher nosso vazio com bons sentimentos e acabar encontrando o objetivo desconhecido da própria existência.

– Sílvia Souza

Written by

2 Comments
  • Carlos Moya disse:

    Eu acho que magoa aquele que se considera superior, de modo que o dano está ligado ao desprezo. E com esse sentimento vem a auto-justificação. Muitos exemplos podem ser encontrados no tratamento degradante que os nazistas fizeram com os prisioneiros em campos de concentração. É uma abordagem extrema o assunto, mas eu escrevo este pensamento como base para a reflexão. O poder é exercida sobre os mais fracos. Um abraço.

    • Acho que sua reflexão é muito sensata e faz todo o sentido. Talvez o principal motivo seja esse. E talvez ele seja a base para o excesso de egoísmo e autocentrismo. Cada um está preocupado apenas com a própria vida… E o mundo é tão maior e está tão acima de cada um de nós…

Instagram
  • #albertcamus #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #lamatseringeverest #citações #budismo #reflexõesdesilviasouza
  • #honorédebalzac #citações #trechosliterarios #amulherdetrintaanos #reflexõesdesilviasouza
  • #edmundburke #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #rubemalves #citações #reflexõesdesilviasouza