30.08.2016
Sintra, Portugal

Sintra, Portugal

 

A certeza – isto é, a confiança no caráter objetivo das nossas percepções, e na conformidade das nossas ideias com a “realidade” ou a “verdade” – é um sintoma de ignorância ou de loucura. O homem mentalmente são não está certo de nada, isto é, vive uma incerteza mental constante; quer dizer, numa instabilidade mental permanente; e, como a instabilidade mental permanente é um sintoma mórbido, o homem são é um homem doente.

Fernando Pessoa

  A certeza – isto é, a confiança no caráter objetivo das nossas percepções, e na conformidade das nossas ideias com a “realidade” ou a “verdade” – é um sintoma de ignorância ou de loucura. O homem mentalmente são não está certo de nada, isto é, vive uma incerteza mental constante; quer dizer, numa instabilidade […]


Comentários desativados em A certeza


29.08.2016
Elétrico de Sintra, Portugal

Elétrico de Sintra, Portugal

 

Hoje, ao tomar de vez a decisão de ser Eu, de viver à altura do meu mister, e, por isso, de desprezar a ideia do reclame, e plebeia sociabilização de mim, do Interseccionismo, reentrei de vez, de volta da minha viagem de impressões pelos outros, na posse plena do meu Gênio e na divina consciência da minha Missão. Hoje só me quero tal qual meu caráter nato quer que eu seja; e meu Gênio, com ele nascido, me impõe que eu não deixe de ser.

Atitude por atitude, melhor a mais nobre, a mais alta e a mais calma. Pose por pose, a pose de ser o que sou.

Nada de desafios à plebe, nada de girândolas para o riso ou a raiva dos inferiores. A superioridade não se mascara de palhaço; é de renúncia e de silêncio que se veste.

O último rasto de influência dos outros no meu carácter cessou com isto. Reconheci — ao sentir que podia e ia dominar o desejo intenso e infantil de « lançar o Interseccionismo» — a tranquila posse de mim.

Um raio hoje deslumbrou-me de lucidez. Nasci.

Fernando Pessoa, ‘Páginas Íntimas e de Auto-Interpretação’

  Hoje, ao tomar de vez a decisão de ser Eu, de viver à altura do meu mister, e, por isso, de desprezar a ideia do reclame, e plebeia sociabilização de mim, do Interseccionismo, reentrei de vez, de volta da minha viagem de impressões pelos outros, na posse plena do meu Gênio e na divina consciência da minha Missão. Hoje […]


Comentários desativados em Hoje, ao tomar de vez a decisão de ser Eu


28.08.2016
Lisboa, Portugal

Lisboa, Portugal

 

E hoje sou apenas um suicídio tardo,

Um desejo de dormir que ainda vive.

Fernando Pessoa

  E hoje sou apenas um suicídio tardo, Um desejo de dormir que ainda vive. Fernando Pessoa


Comentários desativados em E hoje sou apenas um suicídio tardo




%d blogueiros gostam disto:
DESIGN POR JESS