Now reading

Carta às pessoas que amo

Carta às pessoas que amo
Carta às pessoas que amo

Olá! Como você tem passado?

Sei que estamos distantes há algum tempo. Sei que não sou uma amiga cuidadosa. Sei que acabo me deixando envolver pela rotina e acabo negligenciando nossa amizade. Não é intencional.

Talvez você não acredite no que vou escrever, mas garanto que é sincero: penso em você praticamente todos os dias. Fico imaginando como está sua vida, seu trabalho, sua família… Rezo para que tudo esteja bem e tento me comunicar através de telepatia, já que me falta disposição para enviar uma mensagem ou dar um telefonema. Por que isso acontece comigo? Não tenho a menor ideia…

Mas pensando a respeito, acho que deve haver um problema comigo. Talvez eu esteja triste ou melancólica ou, simplesmente, anti social; e, por causa disso, temo não conseguir conversar de forma natural ou não saber como colocar um fim às mensagens que se seguirão. Nesse aspecto, as cartas são melhores, você não acha? Recebíamos, ficávamos eufóricos, pensávamos naquilo que iríamos responder com calma e sem urgência, a resposta seria escrita com todo esmero e, apesar da ansiedade de receber as respostas às minhas cartas, eu sabia que tinha que esperar. Agora ninguém quer esperar.

Qualquer mensagem recebida precisa ser respondida imediatamente. Mas e se eu não puder naquele momento? Ou se eu simplesmente não souber o que escrever? Pode parecer estranho, mas as palavras me faltam com tanta frequência… Não gosto muito daquela conversa superficial e sem sentido, daquele tipo que falamos com desconhecidos nos elevadores sobre o tempo ou o trânsito. Gosto de falar de coisas significativas. Mas talvez as pessoas não queiram escutar sobre assuntos sérios e eu serei uma pessoa chata e inconveniente. Eu penso em tudo isso e acabo optando por calar… ou não escrever… ou me isolar ainda mais.

Acabo não perguntando da sua vida e torço para que esteja tudo bem. Será que tem algum valor aquele ditado que diz “Notícia ruim corre depressa”? Prefiro acreditar que, se não tenho notícias, é porque está tudo bem com você. Mas eu sei que isso não é uma verdade… eu sei por mim… Sei que quando me afasto e fico mais solitária significa que estou mais triste e com pensamentos ruins. A gente sempre prefere compartilhar as boas notícias, não é verdade?

Tenho trabalhado bastante, não posso negar. Muitos desafios na vida profissional; os cuidados com meus filhos e com meus pais; algumas pequenas reformas na casa que faço sozinha porque não gosto de depender de ninguém. Estou lendo sete livros simultaneamente! Você acredita nisso? É algo meio estranho, mas, no fim das contas, estou gostando desse sistema. Resolvi fazer um MBA; não sei se falei a respeito para você.

E de uma hora para outra, achei que devia investir no meu sonho, mesmo que não dê em nada, mesmo que ninguém mais se interesse pela ideia. Investir no meu sonho não dá dinheiro nem vantagem pessoal; muito pelo contrário, porque preciso investir meu tempo e recursos. Apenas achei que eu posso fazer algo mais para melhorar a vida das pessoas… não materialmente, mas com algo bom, algo positivo para que elas se sintam bem e mais felizes. E sabe que no final das contas, isso me faz bem também?

Mas volto a dizer, mesmo que você não acredite: penso sempre em você… acho que todos os dias. Não imagine nem por um segundo que minha falta de notícias implica em esquecimento. Eu te levo comigo, sempre, no meu coração, nas minhas memórias, relembrando todos os gestos ou palavras de carinho que já recebi de você. Sei que não fui capaz de retribuir à altura. Não me queira mal. Peço desculpas porque fazer algo novo me é difícil; preciso programar, refletir, ponderar… até o momento de conseguir tomar uma atitude.

De qualquer forma, a carta já foi escrita… o primeiro passo foi dado…

Talvez você receba mais notícias minhas em breve… Quem sabe…

Anexado a esta carta, vai todo meu carinho, todo meu amor e meus sinceros votos para que você esteja bem e feliz!

 

Written by

5 Comments
  • KAMBAMI disse:

    Nem preciso dizer que é apaixonante transmitir carinho não na forma literal, mas através dela. Sim, sei que ficou uma explicação confusa, afinal quando escrevemos é literal.
    O que muitos talvez não percebam é o poder que existe por trás do suposto literal. Nas entranhas da escrita que dizemos “entrelinhas”, deixamos o aroma da paixão e do amor e aqui há muito desse aroma. Vou curti-lo um pouco, afinal ele é mais que um beijo ou mesmo carinho, ele é uma essência de amor puro de tudo que precisamos para continuar e tudo que ainda podemos sonhar. Minha amiga Silvia, te amo!🌷❤😘

    • Silvia Souza disse:

      Sinto sua falta quando você se mantém distante…
      Sinto falta das suas publicações também…
      Obrigada por ler essa minha carta e deixar um comentário tão especial!
      Um beijo grande e um excelente final de semana!

  • carlos disse:

    Eu acho que é uma maravilhosa carta Silvia, eu sei que não é para mim, mas vindo de Costa e encontrar em seu blog tem sido uma grande alegria. Aqui ainda estamos lutando todos os dias naquelas pequenas batalhas, cozinhar, ler, escrever uma história e cuidar do jardim. Um abraço.

    • Silvia Souza disse:

      Olá, Carlos!
      Desculpe-me pela demora em responder… Estou com alguns problemas aqui e o tempo tem sido muito curto…
      Fiquei muito feliz com a sua mensagem e saiba que aquela carta é para você também!
      São algumas pessoas que estão sempre nos meus pensamentos e no meu coração, inclusive você, mas não consigo ser tão presente nas mensagens pelas correrias que a vida nos impõe. Gostaria de poder ir mais ao seu blog, deixar comentários, mas parece que a cada dia as obrigações pessoais são maiores.
      Um grande beijo, com carinho!

Instagram
  • #lopedevega #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #fiodordostoievski #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #elianebrum #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #eugéniodeandrade #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #richardHooker #citações #reflexõesdesilviasouza