Nova casa
Previous post
Now reading

Blind date

Blind date
Blind date

Não sei porque concordei com esse jantar. Todos ficam insistindo para que eu saia, para que conheça alguém. Não sei se quero. Na verdade, acho que não quero.

Uma bobagem, sair para jantar com uma pessoa que eu não conheço, que eu nunca vi. E tenho certeza que eu não vou gostar dele. Percebi pelas mensagens que trocamos que não haverá afinidade nenhuma.

Meus amigos falaram um pouco sobre ele. Outras coisas ele me contou. Mas é muito mais velho, tem um jeito todo formal quando escreve, nossos gostos musicais não combinam. E não combinam nossos olhares do mundo e da vida.

Uma bobagem esse jantar. Talvez nem valha a pena ir. Acho que vou ligar para desmarcar. Uma perda de tempo.

Meus amigos falaram que ele é uma ótima pessoa, que é divertido, de bem com a vida. Não me pareceu. Eles não me falaram quase nada sobre como ele é fisicamente. Não que isso importe muito. Mas e se ele for mais baixo do que eu? Ou for alto demais? E se for completamente diferente da imagem que eu construí na minha mente?

Sinceramente, acho melhor cancelar.

E o que será que meus amigos falaram de mim para ele? Será que eles me elogiaram demais, como já fizeram antes? Será que eles comentaram que eu uso óculos? Teriam falado que estou acima do peso? E se ele estiver esperando uma mulher extremamente culta, conhecedora de artes, de música, de cinema e de literatura? E se ele falar comigo ou fizer uma pergunta e eu der uma resposta idiota, daquelas que a gente fica remoendo por semanas, envergonhando-se de si mesmo?

De fato, não vale a pena ir ao jantar. Ligo? Mando uma mensagem? O que seria menos deselegante?

Os homens gostam de mulheres inteligentes? Ou será que só se interessam pela aparência? O que de fato ele pode gostar em mim?

E se minha mente ficar vazia? E eu não conseguir conversar sobre nada?

Será que ele é alérgico a perfumes? Pronto! Ele deve ser alérgico a perfumes! Isso é totalmente incompatível comigo, porque não consigo viver sem perfumes. Melhor nem ir ao restaurante e correr o risco dele ficar espirrando por horas.

Definitivamente, é melhor desistir!

E, afinal de contas, não estou pronta. Não quero me apaixonar de novo. Não quero me envolver com ninguém. Não quero me magoar e sofrer mais uma vez. Acho que já cumpri minha cota na vida. Melhor é ficar com meus livros e meus filmes. Não há risco.

O tempo está passando. Preciso desmarcar! Vou ligar… não tenho coragem! Fico muito sem graça de desmarcar um compromisso em cima da hora! O que ele vai pensar de mim? Que não respeito os outros! E não toleraria que ele pensasse algo assim a meu respeito! E o que importa? Nunca irei vê-lo mesmo! E se algum dia eu o encontrar na casa dos meus amigos? E ele me destratar? Vou ficar arrasada!

Então, acho que terei que ir ao jantar…

Qual a pior coisa que pode acontecer? Eu passar duas horas conversando com alguém que pode ser que eu nunca venha a amar. Nada mais.

Acho que sou capaz de lidar com isso.

Vamos lá! Apenas 60 minutos para estar completamente pronta. Agilizando…

– Sílvia Souza

Written by

13 Comments
  • Eder Oelinton disse:

    Ola estimada colega, eu tomei a liberdade de te indicar para um prêmio, espero que não se incomode! Ficarei feliz em conhecer um pouco mais de você, obrigado e boa sorte! http://suprimatec.com/2015/09/24/versatile-blogger-award-por-bellaespiritu/

  • Vai sim, melhor sessenta minutos estando certa sobre o que pensa do que passar o resto da semana ou do ano se perguntando se deveria ter ido. Eu pelo menos penso assim.

    • Silvia Souza disse:

      É um pensamento interessante…
      🙂

      • hahahaha se isso não for uma crônica, vai mesmo. Aproveite para fazer novos amigos e transformar essa sua noite em algo bem especial, onde suas risadas e sorrisos invadam a sua alma e te façam feliz. Aproveite. Me perdoe, acho que falei demais…

        • Silvia Souza disse:

          Mas é só uma crônica… 😀
          Faço um exercício de escrever, às quintas-feiras, minhas batalhas internas, confrontos das minhas múltiplas almas. Acho que é uma forma de ver meus medos, aquelas barreiras que a gente cria, coisas assim.
          Não sei se deu pra entender.
          De qualquer forma, gostei dos comentários.
          Uma ótima noite!
          🙂

  • M.Raydo disse:

    Como diria um irmão: Entre ir e não ir, vá! 🙂

  • Sorte de um personagem que terá a oportunidade de conhecer uma bela escritora.

  • Angela disse:

    Ai , Silvia, que bom que vou poder ler suas crônicas por aqui. Gostei demais. Quem já não passou por situações assim alguma vez na vida, haha… Só fiquei curiosa pra saber como foi o encontro. Seria divertido se você escrevesse sobre o que aconteceu no jantar, rs… Fica a ideia. Beijo grande!

    • Silvia Souza disse:

      Olá, Angela!
      Que bom que você gostou!
      Vou pensar nessa continuação e vou escrevê-la… pode deixar!
      Obrigada pela sugestão.
      Beijo grande!

  • Crônica maravilhosa, Sílvia! A princípio pensei que fosse autobiográfica, mas pelos comentários, já vi que não. De todo jeito, isso torna a crônica ainda mais interessante, pois significa que você é plenamente capaz de envolver e convencer o leitor. 🙂

    Beijos!!

    • Silvia Souza disse:

      Olá, Thaís!
      Obrigada pelo comentário! Fiquei feliz!
      Não é autobiográfica… Fazia parte de uns exercícios que eu fazia na terapia… 😀
      Beijo grande!

Instagram
  • #albertcamus #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #lamatseringeverest #citações #budismo #reflexõesdesilviasouza
  • #honorédebalzac #citações #trechosliterarios #amulherdetrintaanos #reflexõesdesilviasouza
  • #edmundburke #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #rubemalves #citações #reflexõesdesilviasouza