Now reading

A cidade gigante

A cidade gigante
A cidade gigante

Quando as férias chegaram, os pais programaram uma viagem a um lugar novo. Uma praia onde ela nunca tinha estado. Viajaram de carro, todos juntos: o pai, a mãe, os avós, a menina e suas irmãs. Não era um carro grande, não. Era um carro normal, um Corcel. Couberam todos e toda a bagagem, que incluía comida e os acessórios para a praia. A menina sempre olhava admirada como era possível colocar tanta coisa em um porta-malas. Parecia mágica.

A viagem era longa; mais de sete horas. Ela tentava ficar acordada para fazer companhia para o pai. Alguém tinha que estar escutando caso ele quisesse conversar. Mas mesmo tão longe de casa, eles não tiveram que mudar de estado.

Chegaram ao litoral. Era uma cidade movimentada e com muitos prédios. Tinha cara de cidade antiga. Iriam ficar no apartamento de um primo da mãe. Ele tinha emprestado para que eles pudessem passar uma semana de férias na praia. Era bom, todo arrumado e pertinho do mar.

A principal bagagem que a menina carregava eram as recomendações do pai: era uma cidade grande, perigosa, cheia de gente, com muitos carros e ela tinha que ter cuidado para não se perder, não ser roubada ou sequestrada ou atropelada. As recomendações do pai eram sempre assim; sempre exageradas. Mas ela obedecia sem questionar. Ele era o pai.

De manhã cedo, iam para o mar. Ela já era apaixonada pelo mar e gostava de aproveitar os sete dias do ano em que podia sentir a água salgada, a brisa marítima, a areia em seu corpo e o som das ondas.

Esse lugar era mais sujo do que a outra praia para onde tinha ido. Tinha umas manchas escuras, pretas mesmo, que a mãe chamava de piche. A mãe dizia que vinha dos navios que eles viam ao longe. E tinha muitos navios! Contaram que ali pertinho, naquela cidade mesmo, tinha um porto, onde os navios encostavam para carregar e descarregar.

O piche incomodava um pouco, porque grudava nos pés, no maiô, na prancha, e era muito difícil de tirar. Mas ela não deixava de aproveitar a praia, mesmo que tivesse essa coisa preta.

Só que teve um dia em que eles não foram para a praia. Os pais tinham programado outra coisa. Nesse dia, eles foram para a cidade gigante.

A cidade gigante ficava perto da cidade da praia e eles foram de ônibus. Todos eles. Mas chegando lá, eles se dividiram. Os avós foram com a irmã caçula visitar uns parentes. Ela ficou com os pais e a outra irmã para passear na cidade gigante. Por mais que a imaginação da menina fosse grande, por maior que fosse seu pensamento, aquela cidade não cabia. Eram prédios sem fim, mais altos, mais baixos; muitos carros e pessoas apressadas, muitas pessoas, que não paravam, iam e vinham, sem nem se olharem.

Eles andaram de metrô, que era um trem que andava por baixo da terra. E foram ao centro da cidade, ao lugar onde a cidade tinha começado. O pai mostrou e ensinou. Entraram no Pátio do Colégio. O pai falou do Padre Anchieta e contou um pouco da história de quando o Brasil fora descoberto. Lá dentro, tinha uma miniatura da vila de São Paulo naquela época. Como podia ter crescido tanto?

Visitaram a Catedral. Passearam pela praça. E foram almoçar. Chegaram a um prédio muito alto. Tiveram que pegar dois elevadores para conseguirem chegar até o topo. O restaurante ficava lá em cima; no último andar. E dava para ver a cidade toda! Prédios e mais prédios a perder de vista.

Os pais falaram para as filhas: não encham a barriga de pão, porque ainda vem a comida. Mas tinha umas coisas diferentes: uns palitinhos e umas torradinhas e uns pãezinhos tão gostosos!

Quando chegaram os pratos, nenhuma das meninas tinha fome. E os pais acabaram comendo sozinhos.

Depois desse dia inteiro na cidade gigante, eles pegaram o metrô e o ônibus de novo para voltarem para a cidade da praia. A menina não imaginava que voltaria para aquela cidade que não cabia em seu pensamento. Jamais sonharia que um dia essa cidade tão grande e tão complexa passaria a ser sua casa.

– Sílvia Souza

Written by

1 Comment

Instagram
  • #marcoaurélio #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #joséluíspeixoto #citações ##abraço #reflexõesdesilviasouza
  • #fernandopessoa #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #fernandopessoa #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #fernandopessoa #citações #reflexõesdesilviasouza