4.11.2016

univers_cesoiroujamais

 

Escrevi uma publicação sobre um dos meus perfumes preferidos da Maison Annick Goutal, o Heure Exquise (clique sobre o nome para acessar a publicação). Nessa publicação anterior, conto um pouco sobre a história da marca e da criadora, a Annick Goutal.

Tenho que dizer que é uma das marcas que eu mais gosto entre as grifes francesas. Ir a Paris, para mim, significa ter que passar por uma das lojas Annick Goutal. Gosto de várias criações, dependendo um pouco do meu estado de espírito, da estação do ano ou ocasião em que será usada. Foi em uma delas que a vendedora me ensinou como provar um perfume na minha pele e como proceder para saber exatamente se a fragrância me agradava ou não.

 

annick_goutal-details

 

Hoje, vou escrever sobre outro dos meus preferidos que é o perfume Ce Soir Ou Jamais (certamente o perfume de nome mais bonito entre todos os que já conheci). Esse perfume foi criado pela própria Annick Goutal, em 1999 (pouco antes de sua morte), para seu próprio uso. Ela o considerava sua obra de arte e dizia que era “o perfume de toda uma vida”, de uma feminilidade inquietante e graciosa. Foi sua última criação.

É um perfume Floral Intenso, com o aroma de uma rosa de um jardim que Annick descobriu. Ela trabalhou por 15 anos para conseguir obter o aroma dessa rosa aérea, delicada e suave, quase selvagem, em que, finalmente, a criadora obteve êxito em recriar sua transparência. Em sua composição, surgem a Rosa da Turquia, semente de ambrette, hibisco e uma mistura de ingredientes que são mantidos em segredo.

Meu perfume acabou e não tenho como adquirir outro no Brasil (não que eu saiba), infelizmente.

É um perfume com essa rosa maravilhosa, extremamente feminina, fresca e, ao mesmo tempo, intensa, sedutora. Eu podia usá-lo durante o dia e deixava minha marca; mas também ficava muito bom à noite para um jantar especial.

Um perfume realmente maravilhoso!

 

 

 

 

 

  Escrevi uma publicação sobre um dos meus perfumes preferidos da Maison Annick Goutal, o Heure Exquise (clique sobre o nome para acessar a publicação). Nessa publicação anterior, conto um pouco sobre a história da marca e da criadora, a Annick Goutal. Tenho que dizer que é uma das marcas que eu mais gosto entre as […]


  • Hola Sílvia tenho una dubida. E voçe acha que os nomes dos perfumes concordan co aroma? Um beijo.

    • Olá, Carlos!
      Eu acho que cada marca de perfume e/ou cada perfumista tem sua forma de escolher.
      No caso da Annick Goutal, em relação às fragrâncias que ela criava enquanto estava viva, ela tentava buscar uma sensação específica ou o preenchimento de uma história.
      Ela passou anos tentando compor este perfume, que foi o último que criou e definiu como o perfume de toda sua vida. Ela morreu pouco tempo depois.
      Talvez os nomes não sejam capazes de representar o perfume para todas as pessoas. Mas, neste caso, nesta criação tão íntima e pessoal, acho que o nome foi a representação do perfume para ela, Annick.
      Ficou um nome lindo, não ficou?
      Beijo grande!

      • Olá Silvia, o nome do perfume acho maís que lindo é sugestivo e parece concebido como um suporte para uma decisão premeditada. Ou assim parece-me. É só curiosidade. Um beijo.

        • Pode ser…
          Um perfume para ser usado quando houver a decisão: “ce soir ou jamais”…
          Um lindo sábado!


%d blogueiros gostam disto:
DESIGN POR JESS