19.05.2016
L'Amour et Psyche, enfants de William-Adolphe Bouguereau

L’Amour et Psyche, enfants de William-Adolphe Bouguereau

 

Eu tenho minhas dúvidas sobre a existência de Deus. Acredito em energia, algo intenso que conecta pessoas, animais e tudo mais que existe no mundo. Essa energia poderia ser Deus? Mas não quero colocar essa minha crença (ou descrença) em discussão, porque não tenho como provar a existência ou inexistência e porque não tenho nenhum interesse nisso. O importante é que cada um tenha sua própria fé.

Mas há uma coisa na qual acredito. É na existência de anjos. Quando digo anjo, não penso nesses seres bonitinhos, com asas, que voam e trazem mensagens do céu. Não. Quando digo anjo, penso em outro tipo de ser.

O anjo no qual acredito é aquele que vem como uma pessoa (alguém conhecido, um amigo, um familiar, ou até um desconhecido) em um momento em que precisamos de um abraço, uma palavra de carinho, um aconchego. Imagino que outras pessoas além de mim devem ter tido alguma experiência assim. Depois de ter uma desilusão amorosa, uma enorme tristeza, uma perda, uma mágoa, alguém vem e nos abraça; mas não qualquer abraço… alguém nos dá aquele abraço acolhedor, cheio de carinho e de energia boa. Em um dia de muita tensão, angústia, estresse, ansiedade, de repente chega uma mensagem de alguém que nem é tão próximo, mas mandou uma mensagem carinhosa que chegou naquele momento em que mais se precisava. Uma palavra correta no momento certo. Uma frase em um filme que parece ter sido colocada como um recado para mim. A leitura de um livro quando eu mais preciso da mensagem que ele vai me ensinar.

Será que todas essas pequenas coisas que chegam no momento certo são apenas coincidências? Será que o fato de eu perceber tudo isso no momento em que preciso é apenas porque meu cérebro está preparado para aquela mensagem e dá um significado diferente para ela? Será que preciso ser tão cética? Será que posso continuar acreditando nos meus anjos que me trazem carinho, aconchego, boas energias nos momentos em que mais preciso?

O cérebro é incrível. Mas a vida fica mais bonita quando enxergo alguma mágica nela, algo inexplicável, meio divino, como se tivesse sido colocado por um ser espiritual.

Prefiro, então, continuar acreditando nos meus anjos. E no carinho que recebo nos momentos em que mais preciso.

– Sílvia Souza

Sonnenblume_02_KMJ

  Eu tenho minhas dúvidas sobre a existência de Deus. Acredito em energia, algo intenso que conecta pessoas, animais e tudo mais que existe no mundo. Essa energia poderia ser Deus? Mas não quero colocar essa minha crença (ou descrença) em discussão, porque não tenho como provar a existência ou inexistência e porque não tenho […]


  • claudio kambami

    E eu posso recomendar, meu anjo é lindo, como posso eu não acreditar? Mas não vim aqui para discutir também, vim deixar meu carinho ao meu anjo e dizer que a quero tudo de bem. Não sai nunca do meu lado, aceito que ajude outros necessitados, mas és meu anjo, escolhi-a entre milhões e…sabe aquele que chamamos de Deus me disse, “concedo a ti filho meu, que seja seu anjo, mas nunca apenas teu”.
    Sabe Silvia, muitas pessoas confundem o amor, quando o amar é tão puro, algo tão natural, a gratidão que te tenho é algo muito natural. Com todo meu respeito e meu carinho, obrigado por me permitir esse amor tão cheio de carinho. <3 🙂
    Aproveitei para saber do porque não aparecia suas postagens no meu "feed", coisa de WordPress. Um beijão e ótimo final de semana. <3 🙂

    • Claudio,
      Eu não serei capaz de encontrar as palavras que digam exatamente o que senti ao ler o que você escreveu aqui… Fiquei muito emocionada! Até li para meu filho…
      Recentemente, vivi uma situação em que precisei parar para pensar se seria possível amar alguém que nunca se tenha conhecido pessoalmente (na verdade, foi a segunda vez em que me deparei com esse mesmo questionamento). E cheguei à conclusão de que é possível, sim. Podemos sentir a empatia, energia, carinho mesmo à distância. E podemos criar vínculos de enorme afeto baseado no que mostramos de nossa alma e no que percebemos do outro.
      Não sei sou merecedora de entrar na categoria dos anjos, mas saiba que todas as minhas orações, pensamentos e preocupações foram para você e estiveram com você durante esse obstáculo que você transpôs.
      Um grande beijo, com todo meu carinho!

  • E por que não vamos acreditar em anjos? Quase todas as religiões tradicionais têm lendas e tradições. Acreditar em um Deus de bondade não vai machucar ninguém e é uma garantia de bons sentimentos. Um abraço

    • Pois é, Carlos… É isso mesmo! E eu prefiro acreditar na existência deles… Isso me faz bem! E permite que eu tenha mais esperanças para o futuro.
      Um grande abraço!

      • Eu acho que a bondade é uma forma de energia e vem junto que precisa dele e que a música é uma de suas manifestações. Você vê como todo mundo já teve a sua experiência íntima. Um grande abraço.

        • O mundo seria tão melhor se todos se dessem conta disso e estivessem mais abertos a essa bondade, não é verdade?


%d blogueiros gostam disto:
DESIGN POR JESS