Now reading

10 razões para viajar a São Paulo

10 razões para viajar a São Paulo
10 razões para viajar a São Paulo
São Paulo
Parque do Ibirapuera, São Paulo

 

São Paulo não é minha cidade natal. Mas é a cidade que me acolheu desde 1989. Uma acolhida bruta, fria, violenta, como a de um pai que ama seu filho, mas quer que ele enfrente o mundo e aprenda tudo da forma mais difícil, sofrendo para construir as próprias experiências. Assim é São Paulo.

É a capital e maior cidade do Estado de São Paulo. Também é a maior cidade do Brasil, da América do Sul e uma das maiores cidades do mundo. São Paulo tem mais gente e é mais complexa do que muitos países. São milhões de pessoas indo e vindo constantemente. Não há silêncio. Não há pausa. Mas há solidão de sobra para todas as pessoas, aquela solidão que nos preenche quando estamos cercados de outras pessoas também preenchidas pela própria solidão.

São Paulo não tem belezas naturais como tantas outras cidades no Brasil. E, ainda assim, acho a cidade mais incrível do país. Ela é cosmopolita, repleta de cultura, divertimento, gastronomia, entretenimento (especialmente o noturno), negócios, moda e muito mais; aberta a todos os estilos, todos os públicos e minorias. São Paulo nos aceita como quisermos ser. A cidade abriga mais de 70 nacionalidades diferentes e conta com a maior comunidade italiana fora da Itália.

Não temos praias, nem horizonte visível. É repleta de concreto, edifícios a perder de vista, poluição e céu sem estrelas quando a noite chega. Mas a praia fica a apenas 1 hora de distância e há morros e parques e trilhas e matas não muito longe daqui.

Se eu tivesse que escolher um destino do Brasil para visitar, certamente seria São Paulo. Imagino que 90% da população brasileira deve discordar de mim. Mas São Paulo é meu tipo de viagem e gostaria de mostrar as coisas boas que a cidade oferece.

São Paulo conta com 260 salas de cinema, 181 casas de espetáculos, 79 shoppings, 75 parques e áreas verdes, 90 bibliotecas, inúmeras casas noturnas e bares, festas e exposições. São Paulo não para. E ainda recebe inúmeros eventos e feiras, como a Bienal de Arte e a Fórmula 1.

Minhas 10 paixões na cidade: 

 

1. Restaurantes

Independente do título de capital gastronômica ou não, é muito raro que os passeios em São Paulo não incluam um bom almoço ou um bom jantar. Há restaurantes maravilhosos para todos os gostos. Há a desvantagem de não serem baratos (geralmente), mas apenas aqui para conseguir comer um pain au chocolat como o da França ou um pastel de nata como o de Portugal. São Paulo abriga filiais da Ladurée, do Eataly, do Red Lobster e muitos outros.

dom-restaurante-527275615032142
D.O.M. Gastronomia Brasileira

 

2. Aquário de São Paulo

Maior aquário da América Latina, com dois milhões de litros de água. São vários ambientes temáticos onde estão cerca de 300 espécies, entre eles tubarão, pinguins, peixe-boi e jacarés albinos.

Eu já visitei vários aquários incríveis em outros países. O Oceanário de Lisboa é maravilhoso! Mas o Aquário de São Paulo é algo de que me orgulho. Ele foi crescendo aos poucos, sendo montado sempre com muito cuidado. Mostra os nossos peixes, dos nossos rios.

Aquário de São Paulo
Aquário de São Paulo

 

3. Catavento Cultural

Sempre invejei atividades científicas e culturais para crianças que existem em outros países. A Cité des Sciences et de l’Industrie em Paris é indescritível. Então, quando o governo do Estado de São Paulo levou adiante o projeto do Catavento Cultural fez com que nos aproximássemos das grandes cidades do mundo, investindo nas crianças. O ingresso é barato; o prédio onde o museu está montado é uma atração à parte. Cada setor foi montado com a supervisão científica das universidades e permite que as crianças interajam e entendam um pouquinho sobre a natureza, biologia, corpo humano, ciências, física, química, óptica, e muitas outras coisas.

Catavento Cultural
Catavento Cultural

 

4. MASP

O MASP é considerado hoje o mais importante museu de arte do Hemisfério Sul, por possuir o mais rico e abrangente acervo. São cerca de 8.000 peças, em sua grande maioria de arte ocidental, desde o século IV a.C. aos dias de hoje. É um dos vários museus de São Paulo e o meu preferido. O prédio é muito bonito, diferente, com seu vão livre enorme e o acervo do museu já vale a pena, mesmo que não haja nenhuma exposição interessante.

O que é muito triste é que o vão livre do MASP esteja tomado de moradores de rua; provavelmente muitos dependentes químicos, usuários de crack. Infelizmente, essa imagem urbana que, por si só, já é terrível, rouba muito da beleza do MASP e da Avenida Paulista.

MASP
MASP

 

5. Instituto Butantan

Local de estudo de animais peçonhentos e de produção de vacinas, expõe esses e outras espécies vivas, como iguanas, lagartos e macacos. Fica próximo à Cidade Universitária e é um lugar incrível para visitar com crianças. O espaço verde entre os prédios, tranquilo, bem cuidado é muito gostoso e as crianças aprendem muito e participam de várias atividades interativas.

Instituto Butantan
Instituto Butantan

 

6. Zoo Safari

De carro, o visitante tem contato direto com os animais soltos que vivem no parque. O espaço é contíguo ao Zoológico de São Paulo. É um passeio rápido e, ainda assim, apaixonante, principalmente para as crianças. Há muitos animais soltos e que podem ser alimentados, como os avestruzes; macacos sobem nos carros; e podem-se ver as feras (leões e tigres) bem próximos.

Zoo Safari
Zoo Safari

 

7. Zoológico de São Paulo

Fica em uma área de 820 mil m², com ampla infraestrutura. São mais de 3.200 espécies animais abrigadas em locais que imitam seus habitats naturais. Outro passeio imperdível, especialmente com crianças. O zoológico de São Paulo já teve uma estrutura melhor; mesmo assim, continua sendo um ótimo lugar para visitar, com muita coisa interessante. Eu e meus filhos fazemos questão de passar pelas aves de rapina e pelos répteis e anfíbios (preferência do caçula).

Mapa do Zoológico de São Paulo
Mapa do Zoológico de São Paulo

 

8. Museu do Futebol

A história do futebol brasileiro é contada em peças multimídias e interativas (1.400 fotografias, seis horas de vídeo) distribuídas em 15 salas temáticas. Eu não sei dizer se as meninas aproveitam tanto quanto os meninos. Mas meus filhos adoram.

Estádio do Pacaembu - Museu do Futebol
Estádio do Pacaembu – Museu do Futebol

 

9. Parque do Ibirapuera

Tem 1,5 milhões de metros quadrados e muitas opções da lazer: pistas de cooper e de bicicleta, lago, brinquedos infantis, quadras diversas, locais para piqueniques.

O Parque do Ibirapuera fica perto da minha casa e é possível ir à pé. Em seu interior, além das atividades a céu aberto, há museus (MAM – Museu de Arte Moderna, MAC – Museu de Arte Contemporânea, Museu Afro Brasil), a OCA (onde costumam ocorrer exposições), o Auditório Ibirapuera (onde ocorrem shows), o Planetário e o lindo Pavilhão Japonês, onde as crianças podem alimentar as carpas e onde nos sentimos fora da loucura de São Paulo.

Parque do Ibirapuera
Parque do Ibirapuera

 

10. Sala São Paulo

É um local maravilhoso para ver apresentações de sinfônicas. A sala é linda e a acústica é incrível. Há várias apresentações infantis também, promovidas pela TUCCA, uma organização que arrecada fundos para combater o câncer infantil. Eles montaram apresentações de 1 hora que acontecem nos sábados pela manhã (cerca de 8 vezes ao ano), ensinando música, instrumentos da orquestra, ritmos, tudo de forma lúdica. Vale muito a pena!

Sala São Paulo
Sala São Paulo

 

Interior da Sala São Paulo
Interior da Sala São Paulo

 

São Paulo tem muito mais: Pinacoteca, Terraço Itália, Catedral da Sé, Páteo do Colégio, Mosteiro de São Bento, Centro Cultura Itaú… acho que eu não pararia de enumerar as incríveis atividades que a cidade oferece.

Eu brigo constantemente com a cidade, com a solidão e a violência. Mas São Paulo é um lugar maravilhoso para se visitar!

– Sílvia Souza

Written by

13 Comments
  • Carlos Moya disse:

    Muito grato para a descrição desta cidade interessante. Além disso, você me ensinar hoje duas novas palavras, Caçula e Brigo, eu vivo a maior parte do ano em uma cidade pequena, Ävila, sem pressa, quase cinquenta mil pessoas, longo inverno, como um enorme castelo. longe do mar, ancorada na parte superior do planalto e sempre aguarda a chegada da neve. E os dias restantes de frente para o Atlântico, à beira do fim do mundo em uma pequena vila de pescadores na Costa da Morte. Fisterra.

    • Estive a olhar algumas fotos da cidade onde você vive e deve ser um lugar lindo! Sou apaixonada por cidades europeias com características medievais, castelos e muita história. Infelizmente, a única cidade da Espanha que eu conheço é Madri, que é maravilhosa. Mas gostaria muito de conhecer muitas outras localidades.
      Quem sabe ainda tenha essa oportunidade de conhecer mais sobre seu país…
      Abraço!

  • eu gostava de conhecer o brasil, nao tenho e uma cidade definida que gostasse mesmo de ver..

    ja agora, ja que ha tantos cinemas e shopping maande alguns paqui :p
    cinema nao ha e shopping so temos um bem pequeno que ate farta de la andar

    • O Brasil é um país bonito, Sofia, mas não tem uma estrutura muito boa para o turismo. Temos um elevado índice de violência e homicídios, infelizmente.
      São Paulo foge da imagem que se faz do Brasil no exterior. É uma grande metrópole, com muitos prédios, vida corrida, trânsito. Mas é uma cidade incrível em muitos sentidos.
      Se eu pudesse, enviaria os cinemas e shoppings… realmente, temos de sobra!
      Beijo!

  • Acho que eu adoraria conhecer São Paulo. Sou de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, mas sinto que me identifico muito mais com São Paulo… Espero um dia descobrir se essa impressão que tenho está correta… hehe Adorei o post! Beijos!

    • Olá, Thaís!
      Tenho certeza que haverá inúmeras oportunidades de você conhecer São Paulo.
      Talvez eu tenha dado muita ênfase em programas infantis na minha publicação. Mas São Paulo é realmente uma cidade que oferece muitas atividades diferentes.
      Quando vier, não deixe de avisar…
      Beijo grande e um lindo domingo!

  • Lari Reis disse:

    Gostei bastante desse post, Silvia.
    Estive em São Paulo apenas uma vez e por um curto período de tempo. Gostei muito do que vivi. Apesar de ser uma pessoa que prefere mais tranquilidade e ar puro, sinto atração pela vida cultural da cidade e por algumas vantagens que o tamanho traz. Como ocorre em outras cidades grandes pelo mundo, me parece que, nas ruas, as pessoas estão menos preocupadas com o que as outras estão fazendo, no sentido de não ficarem reparando. Há uma certa sensação de liberdade em meio à selva de pedra. Certamente, há fatores negativos, como o trânsito e a violência, mas acredito que seria sim uma visita muito interessante…

    • Oi, Lari!
      De onde você é?
      São Paulo permite isso que você descreveu sim. Embora haja algumas descrições de agressões a minorias, não vejo que seja uma coisa frequente. Acho uma cidade muito aberta e cosmopolita nesse sentido; não há muito preconceito com a forma de se vestir ou com o grupo a que se pertence. Conseguimos nos manter um pouco anônimos e dar vazão a qualquer desejo secreto sem tanto receio de julgamentos alheios.
      Você citou 2 grandes problemas: trânsito e violência. Eu acrescento a solidão. Estamos cercados de pessoas, mas o paulistano tende a ser um pouco fechado na sua intimidade… Eu que sou do interior, de um lugar onde as pessoas se conhecem, ainda sofro um pouco com esse individualismo excessivo. Ou pode ser que seja eu mesma que seja assim… não sei.
      Beijo grande! Um lindo domingo!

      • Lari Reis disse:

        Sou de Belo Horizonte e nunca morei em outro lugar.
        Aqui, temos o costume de dizer que “BH é um ovo”. Em qualquer lugar que você vá, as chances de encontrar um conhecido são consideráveis. Talvez, até por isso, tenhamos menos desse “anonimato”.
        Nunca tinha pensando sobre a solidão. Eu sou introspectiva e ficar sozinha é algo muito natural para mim. Inclusive, requer minha atenção para que eu não me acomode. Por um lado, acho que as opções de lazer de São Paulo poderiam me motivar mais (não levando o trânsito em consideração). Por outro, pode ser que essa tendência que você citou me fizesse ficar ainda mais “isolada”. Não sei…
        Os outros problemas, infelizmente, são cada dia mais comuns no dia-a-dia de todos nós.
        Beijos!

        • Fui apenas 2 vezes a Belo Horizonte e isso já faz mais de 30 anos (!!!). O tempo passa muito rápido!!!
          Acho a solidão de São Paulo diferente… eu tenho grande tendência a ser fechada e a me isolar do mundo… Mas aqui, tenho a impressão que se fazem muitas amizades superficiais (do tipo colegas de trabalho) e poucos amigos reais e com quem se pode contar em momentos de dificuldade.

  • Virginia Leite disse:

    Excelente artigo !

Instagram
  • #JamesJoyce #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #gastonbachelard #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #victorhugo #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #claudeaveline #citações #reflexõesdesilviasouza
  • #thomasatkinson #citações #reflexõesdesilviasouza